Tecnologia

Games ajudam a treinar o cérebro e melhoram o raciocínio lógico

Games são mais que um hobby: eles também são de grande ajuda para estimular o cérebro e incrementar o raciocínio lógico.

06/08/2019


Games exercitam o cérebro (Divulgação)

Atualmente, o mercado de trabalho emprega técnicas cada vez mais inovadoras para escolher profissionais. Uma delas é o teste da capacidade que cada pessoa tem para resolver problemas: um profissional que consiga cumprir a tarefa com eficiência é muito mais valioso para uma equipe. Por conta disso, cada vez mais pessoas têm se empenhado nessa atividade.

 

Felizmente, existem várias maneiras de se refinar essa habilidade. Entre as mais populares, estão atividades como o xadrez, o sudoku e até mesmo o dominó. Além delas, há outra alternativa para tornar a capacidade de raciocínio mais aguçada: os vídeo games.

 

Por que o raciocínio lógico é importante?

Resolver equações, analisar padrões de figuras e até mesmo analisar problemas de lógica discursiva. Essas são algumas das situações nas quais costuma-se usar o raciocínio lógico. É o que acontece, por exemplo, em concursos públicos: essa habilidade costuma ser avaliada nos candidatos por meio de exercícios nessas áreas.

 

Além disso, o raciocínio lógico é muito importante para resolver questões da vida cotidiana. Por exemplo: o planejamento do orçamento doméstico, a rota até determinado local e até mesmo uma argumentação com um prestador de serviços demandam tal habilidade.

 

Como os games contribuem com o raciocínio lógico?

Por mais que atividades mais tradicionais, como o sudoku, sejam realmente de grande ajuda para aprimorar a capacidade de raciocínio lógico, os games também são uma ótima alternativa. Confira, a seguir, por que eles são benéficos para quem pretende treinar a mente.

 

Resolução de problemas

Os games são, de modo geral, um grande cenário de resolução de problemas. Há, afinal, um objetivo a ser alcançado, que, por sua vez, demanda a superação de uma série de desafios. Por conta disso, o jogador costuma ser obrigado a elaborar alguma tática.

 

Para os amantes dos games, uma das principais consequências disso é que sua habilidade de raciocínio lógico – e, consequentemente, de resolução de problemas – melhora. Por conta disso, tais pessoas costumam ser boas ao elaborar e executar estratégias, algo que também é útil no universo profissional.

 

Planejamento e autocontrole

Além dos problemas a serem transpostos, os games proporcionam ao jogador alguns recursos para transpô-los, como elementos que neutralizam os inimigos e até mesmo vidas extras. Eles, porém, são finitos, o que torna necessário que haja um planejamento em sua utilização. Isso, por sua vez, exige a prática e o aprimoramento do raciocínio lógico e do processo de tomada de decisões, de modo que tais itens sejam aproveitados da melhor maneira possível.

 

Aprendizado mais divertido

Na atualidade, a gamificação é uma das maiores tendências da educação. Como o próprio nome dá a entender, essa tática prevê a transmissão de conteúdos por meio de jogos, inclusive os games digitais. Pensadas para reter a atenção do jogador, essas plataformas são mais eficientes no aprendizado do que as técnicas mais tradicionais. Além disso, o desenvolvimento das habilidades de raciocínio lógico acontece de uma forma mais lúdica e divertida, tornando o processo mais agradável e rápido.

 

Estímulo da massa cinzenta

Comandos, estratégias e uso de recursos. Ao jogar um game, é preciso considerar muitas coisas ao mesmo tempo, o que, por sua vez, implica em um uso constante e intenso da estrutura do cérebro.

 

Por conta disso, pesquisas apontam que indivíduos que jogam videogames regularmente tendem a ter uma massa cinzenta mais volumosa do que aqueles que não o fazem. Como essa é a região responsável por processar as informações que recebemos, isso traz uma melhora em habilidades como atenção, coordenação motora, navegação espacial, memória e pensamento estratégico. Consequentemente, tais pessoas costumam ter uma capacidade de raciocínio lógico e solução de problemas melhorada.

 

Games desafiam o cérebro

Boa parte dos jogos existentes no mercado geram estatísticas para o jogador. Assim, ele é capaz de acompanhar seus resultados e entender quais são suas fraquezas, para, em seguida, superá-las. Isso, por sua vez, também contribui com a melhora da capacidade de raciocínio lógico. Mesmo jogos aparentemente mais simples como o 2048, onde é preciso combinar tijolos virtuais com as setas do teclado realizando somas até conseguir o tijolo com o número 2048, é na verdade um jogo desafiador de quebra-cabeças matemático que desafia o cérebro.

 

Assim como os games, os esports também exigem raciocínio lógico e estratégia. Jogadores de esports precisam ter concentração e agilidade para tomar decisões.  O mesmo ocorre com quem aposta. O apostador para ter sucesso não pode simplesmente usar de intuição e precisa ter a habilidade de calcular probabilidades.  Além do caráter recreativo, as apostas esportivas são capazes de ativar áreas do cérebro e habilidades, como concentração, memória, dedução e raciocínio matemático. Sendo assim, pessoas que jogam ou apostam em Dota 2, por exemplo, um dos mais desafiadores, costumam ser mais inteligentes e ter um desempenho melhor.

 

Apesar dos benefícios, excesso de games é maléfico

Apesar de cada vez mais pesquisas revelarem que os games trazem uma série de benefícios no que se refere à capacidade de raciocínio lógico, é preciso ter em mente que os jogos exigem moderação. O motivo por trás disso é o fato de que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), seu uso em excesso pode causar dependência.

 

Por mais que isso aconteça apenas com uma pequena parcela dos jogadores, o vício pode trazer uma série de problemas. Entre eles, estão o isolamento social, alimentação inadequada, sono insuficiente e até mesmo a lesão por esforço repetitivo (LER), devido à realização dos mesmos movimentos constantemente.

 


Portal WSCOM


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.