Justiça

Gaeco encaminha parecer ao Tribunal de Justiça recomendando a manutenção da prisão do Padre Egídio de Carvalho


30/11/2023

(Foto: Henrique do Valle/TV Manaíra)

Portal WSCOM

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba enviou parecer desfavorável, nesta quinta-feira (30), em relação ao pedido de revogação da prisão preventiva do Padre Egídio de Carvalho e Jannyne Dantas, ex-diretora do Hospital Padre Zé, bem como à tentativa de defesa de Egídio de nomear uma equipe de assistentes técnicos para avaliação mental do religioso.

Segundo o jornalista Wallison Bezerra, os documentos serão analisados ​​pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça da Paraíba.

No que diz respeito à manutenção da prisão preventiva, a defesa alegou que a decisão que decretou as prisões foi baseada numa “suposta descontextualização da prova consistente em print de conversa de WhatsApp e na ausência de elementos concretos quanto à gravidade das condutas submetidas praticadas”. O Gaeco, no entanto, argumentou que a decisão foi íntegra, lúcida e harmoniosa, sem justificativa para a revogação.

Adicionalmente, a defesa destacou a responsabilidade do Padre Egídio no cuidado de familiares idosos e sua condição de portador de comorbidades. Os promotores rebateram, afirmando que há outros familiares que podem assumir essa responsabilidade, sustentando a necessidade de manutenção da prisão preventiva.

 



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //