Política

Frei Anastácio defende instalação da CPI do MEC e investigação de Bolsonaro por obstrução da justiça


26/06/2022

Portal WSCOM



O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) disse que, apesar das manobras dos governistas, acredita na instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para apurar as denúncias sobre as ações do gabinete paralelo operado pelo ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, no Ministério da Educação e investigação de Bolsonaro por obstrução da Justiça.

“A correria dos governistas, no Congresso Nacional, é grande, com promessas e emendas secretas para comprar apoio. Mas, o senador Randolfe Rodrigues ( Rede-AP) já anunciou que tem as assinaturas necessárias, e deve apresentar o pedido de CPI nos próximos dias, no Senado”, disse.

O parlamentar afirmou que as denúncias do Ministério Público e as provas colhidas pela Polícia Federal, não deixam dúvidas sobre o esquema de corrupção operado pelo gabinete paralelo no MEC. “Eles pensam que são donos do Brasil e acham que podem fazer tudo, em nome de Bolsonaro”.

Investigação de Bolsonaro

O parlamentar também disse que Jair Bolsonaro tem que ser investigado pelo STF, e o PT já anunciou que vai fazer o pedido. “A interferência de Bolsonaro é clara nesse caso. Ele simplesmente avisou ao ministro, sobre a operação dias antes, para que provas fossem destruídas. Além disso, ainda houve interferência até na ação da PF, que foi impedida de levar o ex-ministro preso para Brasília”, relatou.

Frei Anastácio ressaltou ainda que essa prática de interferência e obstrução da Justiça por Bolsonaro é uma prática comum no governo. “Basta ver a quantidade de exonerações de cargos e mudanças de delegados da PF, em processos que envolvem familiares e amigos. Esse governo não quer investigação para tentar esconder o mar de corrupção que existe”, concluiu.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.