menu

Policial

13/03/2019


EXCLUSIVO: Tia de Marielle Franco diz em João Pessoa que caso ainda não acabou; “queremos saber quem são os mandantes do crime”

Solange Cavalcanti, Tia de Marielle Franco, participou de homenagem à sobrinha na UFPB.

Solange Cavalcanti. tia de Marielle Franco, participou de evento na UFPB (Foto: Gil Sabino/WSCOM)

Por Ângelo Medeiros com Gil Sabino / Portal WSCOM


EXCLUSIVO –
Em contato com a reportagem do Portal WSCOM, na noite desta terça-feira (12), a militante Solange Cavalcanti, tia da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada em 14 de março do ano passado em um crime ainda não esclarecido, revelou que a família ainda aguarda o desfecho do referido assassinato. Ela participou de homenagem promovida pela Universidade Federal da Paraíba, através do Centro de Educação, que fez o lançamento da “Rua Marielle Franco” no interior da instituição.

De acordo com Solange Cavalcanti, a prisão efetuada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, na manhã de hoje, de dois policiais militares suspeitos de participarem do assassinato da vereadora Marielle Franco é apenas o início do processo de desvendamento do crime.

Quem mandou matar Marielle?

Ainda segundo Solange Cavalcanti, a meta agora é identificar quem executou Marielle Franco e o seu motorista Anderson Gomes, e quem seriam os mandantes do crime. “Acho que [a prisão dos policiais] é apenas a ponta do iceberg. Começou agora. Essas pessoas vão responder quem matou Marielle e quem mandou matá-la. Não está resolvido o caso ainda. O que queremos é que se chegue aos mandantes de Marielle Franco, uma parlamentar que não tinha nada contra ninguém e que vivia em favor de ajudar as pessoas. Pra gente enquanto família, a luta continua”, disse.

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) afirmou na tarde de hoje que a vereadora foi morta por causa de uma “repulsa” do atirador e policial reformado, Ronnie Lessa, a sua atuação política em defesa de causas voltadas para as minorias.