menu

Paraíba

13/11/2019


Esquema semi-industrial de produção de “skank” é desarticulado em João Pessoa

Portal WSCOM

Após quatro meses de investigação, a Polícia Civil da Paraíba conseguiu desarticular, na madrugada desta quarta-feira (13), um esquema de fabricação de maconha tipo “skank”, que operava em três bairros de João Pessoa. Dois laboratórios clandestinos usados para cultivo da droga foram descobertos nos bairros Valentina e Portal do Sol. Um galpão que armazenava a produção também foi localizado em Quadramares.  Duas pessoas foram presas. Os trabalhos foram feitos por equipes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes de João Pessoa (DRE/JP).
 
Segundo o delegado Bruno Germano, da DRE/JP,  a maconha tipo ‘skank” possui poder alucinógeno 20 vezes maior em relação à maconha comum. Por isso, seu preço no tráfico ė maior . “Enquanto o quilo da  maconha normal custa em torno de dois mil reais, a “skank ” chega a 30 mil” , afirmou o delegado .
 
Os policiais encontraram os imóveis com grande aparato  para fazer o cultivo. O local estava climatizado, com estufas e controle de temperatura e irrigação. “Tudo para garantir uma excelência na qualidade do material. No galpão ainda existia grande  logística   de armazenamento, com embalagens, betoneiras, maquinário industrial “, acrescentou.
 
Duas pessoas foram presas e autuadas em flagrante por crime de tráfico de drogas: Danerson Lima Coutinho e Ícaro de Carvalho Henrique. Eles eram chamados pelos clientes como “reis do skank”.
 
“Um dos locais tinha 200 metros quadrados de climatização, iluminação e irrigação inteligentes. Cerca de 200 pés de skank foram apreendidos. A produção era quase industrial”, afirmou Bruno.
 
O material apreendido será submetido a perícias .