Esporte

Equipe Williams de F1 pode ser colocada à venda; contratos com patrocinadores são rompidos

Anúncio vem depois da divulgação de prejuízo de aproximadamente R$ 86 milhões no ano passado; direção avalia venda parcial ou até mesmo total das ações da escuderia

29/05/2020


George Russell acelera Williams em seu primeiro teste de checagem em Barcelona — Foto: Divulgação

GE

Um dos nomes mais icônicos da história da Fórmula 1 pode estar com os dias contados: depois de um prejuízo de 13 milhões de libras (cerca de R$ 86 milhões) em 2019, a direção da Williams anunciou que poderá vender parte ou até mesmo a totalidade da equipe. Também foi revelado o fim imediato dos contratos de patrocínio com a empresa de telecomunicações RoKiT e a marca de bebidas ROK Drinks, parceiras desde o começo de 2019. A equipe divulgou comunicado.

“A companhia não recebeu nenhuma abordagem no momento deste anúncio e confirma que está em discussões preliminares com um pequeno número de partes a respeito de um possível investimento na companhia. Não há certeza de que uma oferta será feita, nem sobre os termos em que qualquer oferta será feita. O conselho se reserva o direito de alterar ou encerrar o processo a qualquer momento e, se o fizer, fará um anúncio conforme apropriado. O conselho também se reserva o direito de rejeitar qualquer abordagem ou encerrar discussões com qualquer parte interessada a qualquer momento”, diz trecho.

A notícia vem após a Williams anunciar seus resultados financeiros de 2019, ano em que teve prejuízo de 13 milhões de libras (cerca de R$ 86 milhões), depois de ter lucrado 16 milhões de libras (R$ 106 milhões em 2018. No ano passado, a receita da companhia caiu para 160,2 milhões de libras (R$ 1,06 bilhão) contra as 176,5 milhões de libras (R$ 1,176 bilhão) em 2018.

Em relação à equipe de Fórmula 1, as receitas caíram para 95,4 milhões de libras (R$ 636 milhões) na comparação com as 130,7 milhões de libras (R$ 871 milhões) de 2018. O prejuízo da equipe em 2019 foi de 10,1 milhões de libras (R$ 67 milhões) após o lucro de 16 milhões de libras (R$ 106 milhões) em 2018.

Banner Portugal

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.