Policial

Enterro de jovem atropelada em parada de ônibus no Rangel é marcado por comoção

Tristeza


20/02/2013



O enterro da jovem Gecyanne Camilo Pimentel, 16 anos, que morreu no início da madrugada desta quarta-feira (20), após ser atropelada na tarde de ontem em uma parada de ônibus na avenida 14 de julho, bairro do Rangel, em João Pessoa (PB), foi marcado pela comoção de familiares e amigos.

Várias pessoas participaram do sepultamento, que aconteceu no cemitério do bairro do Cristo. Alunos da Escola Estadual Pedro Augusto Caminha (EEPAC), do bairro de Jaguaribe, onde a jovem estudava, também prestaram homenagens a colega.

{arquivo}Gecyanne e mais cinco pessoas foi atropelada por um carro oficial da Secretaria de Educação do Estado. A jovem de 16 anos estava internada no bloco cirúrgico do Hospital de Emergência e Trauma, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. A adolescente teria tido uma das pernas amputadas.

Após o acidente, familiares, amigos e moradores do bairro do Rangel interditaram trecho da Avenida 14 de julho em protesto contra a morte da adolescente. Dezenas de moradores participaram do protesto pedindo melhor sinalização no trecho para que não ocorram outros acidentes. Eles alegam que o local é muito perigoso por que os carros passam em alta velocidade.

Os moradores queimaram pneus e vão sair em passeata do local do acidente até a Central de Velórios Rosa de Sharon onde o corpo da adolescente está sendo velado.
O acidente

O motorista Edvaldo Luiz Balbino Ribeiro estava trabalhando no transporte de material de expediente da secretaria quando ocorreu o acidente. O motorista, que também sofreu ferimentos, prestou socorro às vitimas e acionou de imediato a equipe de emergência do Samu.

A Secretaria de Educação informou que abrirá processo administrativo interno para apurar os fatos e fará todo o reparo aos danos materiais da parada de ônibus e do muro da residência.

Semob se reúne com moradores do Rangel e faz ajuste no trânsito

Em decorrência do protesto, o superintendente executivo da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob), Nilton Pereira de Andrade, recebeu em seu gabinete, uma comissão de moradores do Rangel para discutir o excesso de velocidade praticado pelos veículos na avenida 14 de julho.

Durante o encontro, os técnicos ouviram atentamente as reivindicações e os relatos feitos pela comissão (composta por 12 moradores) sobre inúmeros acidentes registrados na avenida nos últimos anos.

Para solucionar o problema ficou definido que serão implantados, provisoriamente, dois redutores físicos de velocidade (quebra-molas) até que uma lombada eletrônica tipo Bandeirão seja instalada na área. Enquanto as lombadas físicas não são construídas, serão colocados cones no meio da avenida, e agentes de mobilidade farão monitoramento do trânsito.

Após a reunião, os técnicos e a comissão foram até o local definir onde vão ser implantadas as lombadas físicas, e averiguar questões pontuais. A médio prazo, a intenção é instalar redutores eletrônicos de velocidade (pardais) em todo o trecho, para garantir a segurança dos pedestres.

Na ocasião também foram discutidos problemas de trânsito em outros pontos do Rangel. A comissão reivindicou uma lombada física ou um semáforo de botoeira nas proximidades de uma escola na avenida 2 de fevereiro devido à alta velocidade dos veículos. Um estudo detalhado será feito pelos técnicos para verificar qual a melhor sinalização a ser implantada naquela área.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //