Paraíba

Empresa espanhola passa a gerir o aeroporto de João Pessoa

O aeroporto paraibano tem capacidade para receber 2,3 milhões de passageiros ao ano e encerrou 2019 com mais de 1,3 milhão de viajantes.

24/02/2020


@Reprodução da internet / Aeroporto Castro Pinto, na Região Metropolitana de João Pessoa

Portal WSCOM

Estão sendo encerradas nesta segunda-feira (24) as operações da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) no Aeroporto Castro Pinto, na Grande João Pessoa.

A empresa espanhola Aena Desarrollo Internacional, vencedora do leilão feito em 15 de março de 2019, passa a ser a nova administradora do Castro Pinto.

Os aeroportos do Bloco Nordeste  foram arrematados pela empresa por R$ 1,9 bilhão, com ágio de 1.010% em relação ao lance mínimo inicial de R$ 171 milhões.

Também fazem parte do Bloco Nordeste os aeroportos de Juazeiro do Norte (CE), Campina Grande (PB), Maceió (AL) e Aracaju (SE), entregues à Aena nos primeiros meses de 2020, bem como o Aeroporto de Recife (PE), a ser entregue no dia 2 de março.

O aeroporto paraibano tem capacidade para receber 2,3 milhões de passageiros ao ano e encerrou 2019 com mais de 1,3 milhão de viajantes, entre embarques e desembarques.

Atualmente, o aeroporto conta com 16 voos regulares de quatro companhias aéreas: Azul, Gol e Latam. As rotas interligam João Pessoa a diversos destinos brasileiros, como Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Brasília (DF), Campina Grande (PB) e Recife (PE).

Com o intuito de apoiar e garantir segurança à navegação aérea nas áreas de tráfego do Aeroporto de João Pessoa, a partir do próximo dia 24, a Infraero permanece apenas na administração da torre de controle do terminal.

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.