Economia

Desemprego diminui, mas taxa de informalidade bate recorde no país

Média nacional caiu de 12,3% em 2018 para 11,9% no ano passado. Informalidade atinge 41% da população.

16/02/2020


Imagem ilustrativa/Arquivo

Agência do Rádio

A taxa média de desemprego em 2019 caiu em 16 estados do país, acompanhando a média nacional, que caiu de 12,3% em 2018 para 11,9% no ano passado, segundo pesquisa divulgada na última sexta-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o estudo, a renda dos brasileiros foi puxada principalmente pela informalidade, que atingiu 41,1% da população em média, maior nível desde 2016, e também foi recorde em 20 estados. O indicador refere-se a soma dos trabalhadores sem carteira, trabalhadores domésticos sem carteira, empregador sem CNPJ, conta própria sem CNPJ e trabalhador familiar auxiliar.

Em 11 estados, a taxa de informalidade ultrapassou metade da população economicamente ativa. Apenas Distrito Federal e Santa Catarina tiveram taxas de informalidade abaixo de 30%.

Segundo o IBGE, as maiores taxas de desemprego ficaram no Amapá (17,4%) e na Bahia (17,2%), enquanto as menores foram registradas em Santa Catarina (6,1%) e nos estados de Rondônia, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, todos os quatro estados com 8% na média anual.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.