Política

Deputado acusa Governo Federal de proteger exploração ilegal de madeira, com a falta de atualização de dados


02/05/2021

(Foto: Divulgação/Assessoria)

Portal WSCOM

O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) acusou o Governo Federal de proteger a exploração ilegal de madeira no Brasil, através da falta de atualização de dados sobre a exploração do setor, o que dificulta a fiscalização e facilita o avanço da destruição criminosa das florestas.

“Mesmo com a existência do Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor), os dados não são suficientes para que o Ibama fiscalize toda madeira que circula no Brasil. O objetivo desse sistema é justamente obter informações desde o início do projeto para a exploração da madeira, até o destino final das toras extraídas. Mas na prática, não funciona e o governo acoberta essa prática ilegal”, lamentou.

De acordo com matéria publicada no jornal O Globo, dados apontam que em alguns estados, como o caso do Pará, a área explorada chega a ser mais que o dobro da autorizada.

Frei Anastácio disse que a única forma de combater essa exploração é com a atualização desses dados fornecidos pelos estados ao Governo. “O que parece é que nem o Ibama, nem o Governo estão interessados em cobrar esses dados para tomar as medidas necessárias. O Governo vem utilizando dessa estratégia de esconder dados para que os resultados negativos do seu Governo não fiquem tão evidentes, prova disso é a não realização do censo 2021. Os dados podem ser assustadores e Bolsonaro quer evitar esse desgaste”, disse.

Exploração de áreas não autorizadas

De acordo com cruzamento de dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e do Instituto Centro de Vida (ICV), é possível concluir que no Pará dos 27 mil hectares explorados, apenas 11 mil hectares tinham autorização.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.