Policial

Delegado-geral da Paraíba nega erro da Polícia Civil no caso da professora do Rio de Janeiro presa por engano

André Rabelo afirma que a Polícia Civil da Paraíba não pediu a prisão de Samara Araújo e que vai solicitar um pedido de retratação à imprensa.


04/12/2023

Samara Araújo (Arquivo pessoal)

Redação / Portal WSCOM

A Polícia Civil da Paraíba não foi responsável pelo erro que levou à prisão de Samara Araújo, uma professora do Rio de Janeiro por um crime que ela teria cometido quando tinha 10 anos de idade. Foi o que afirmou o delegado-geral da instituição, André Rabelo, em entrevista ao programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM, nesta segunda-feira (4). A vítima foi solta após passar oito dias detida no Instituto Penal Oscar Stevenson, no Rio de Janeiro.

De acordo com Rabelo, a polícia não solicitou a prisão de Samara e diz que vai solicitar uma retratação após, segundo ele, tentarem manchar a imagem da polícia paraibana.

“Fico entristecido, como disse outrora, duas vezes. Pela cidadã que teve a sua liberdade cerceada e pela Polícia Civil da Paraíba que não deu causa a um episódio tão triste como esse. A Polícia Civil, muito pelo contrário, tem crescido diuturnamente em prol de uma segurança pública para a Paraíba mais sólida e mais eficaz e que de fato responda aos anseios da sociedade”, disse André Rabelo

O crime, ocorrido há 13 anos, foi cometido contra um funcionário de um mercadinho após ter ele ter sido ameaçado por criminosos de morte quando estes solicitaram um depósito que fosse feito na conta de Samara.

Porém, segundo a família da vítima, os documentos dela foram roubados aos 10 anos e utilizados pelos criminosos de forma fraudulenta para abertura da conta usada no golpe. A notícia virou manchete nacional ao apontar o caso como um erro da Polícia Civil da Paraíba na investigação.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //