Brasil & Mundo

Coronavírus: Indústria aérea privada registra hecatombe com principais empresas entregando aviões e demitindo em massa

13/05/2020


Por Walter Santos

Via Whatsaap, nesta terça-feira (12) à noite, o empresário paraibano Flávio Ribeiro Coutinho, que há anos reside em São Paulo, onde praticamente se formou, enviou ao Portal WSCOM um apanhado da grave realidade do segmento da indústria da aviação mundial em que grandes empresas anunciam a devolução de aeronaves e demissão em massa por conta da grave crise economia gerada pela pandemia do novo coronavírus.

Na mensagem, Flávio Ribeiro Coutinho ainda comenta que com “o mundo derretendo, nos resta rezarmos”.

Eis, a seguir, na íntegra, a realidade da indústria aérea no mundo:

Um dia muito triste para uma indústria com 100 anos de idade.

– A Virgin despediu mais de 3.000 pessoas, incluindo 600 pilotos.

– Arquivos da Virgin Australia para falência.

– A Air Mauritius entrou na Administation Cin

– A South African Airways está falida.

– A Finnair devolveu 12 aviões e despediu 2.400 pessoas.

– YOUnparqueou 22 aviões e despediu 4.100 pessoas.

– A Ryanair parqueou 113 aviões e “se livrou” de 900 pilotos no momento, mais 450 nos próximos meses.

– A Norwegian interrompeu completamente a sua atividade de longo curso !!! Os 787s foram devolvidos aos arrendadores.

– A SAS devolveu 14 aviões e demitiu 520 pilotos.Os estados escandinavos estão estudando um plano para liquidar a Norwegian e a SAS para reconstruir uma nova empresa a partir das suas cinzas.

– A Ethiad cancelou 18 pedidos de A350, motivos 10 A380 e 10 Boeing 787. Demitiu 720 funcionários.

– A Emirates parqueou 38 A380 e cancelou todos os pedidos do Boeing 777x (150 aeronaves, o maior pedido desse tipo). A empresa “convida” todos os funcionários com mais de 56 anos a se aposentarem.

– Wizzair devolveu 32 A320 e demitiu 1.200 funcionários, incluindo 200 pilotos, outra onda de 430 demissões planejadas nos próximos meses. Os funcionários restantes terão seus salários reduzidos em 30%.

– A IAG (empresa controladora da British Airways) abandona a aquisição da Air Europa (e pagará uma compensação de € 40 milhões por isso).

– IAG (Iberia) parqueou 56 aviões.

– A IAG (British Airways) parqueou 34 aviões. Todos funcionátios com mais de 58 anos têm que se aposentar.

– Luxair reduziu sua frota em 50% (e redundâncias associadas)

– A CSA aboliu o seu setor de longo curso e mantém apenas 5 aeronaves de médio curso.

– Eurowings entrou em falência.

– A Brussels Airlines reduziu a sua frota em 50% (e despedimentos associados).5

– A Lufthansa planeja parquear 72 aeronaves (em duas parcelas).

– A Hop está estudando a possibilidade de reduzir a frota e o pessoal em 50%.

E completou:

Atualmente, há 60 novas aeronaves armazenadas na Airbus sem compradores à vista (cancelamentos de pedidos), incluindo 18 A350.

Eles preveem ter um mínimo de 8.000 aviões parqueados até setembro. Com uma média de 5,8 tripulações por avião (médio e longo curso combinados), isso fará mais de 90.000 pilotos desempregados em todo o mundo.

O setor de transporte aéreo está agonizando sob suporte de vida.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.