Música

Coro de Câmara de Campina Grande e Grupo Iamaká se apresentam domingo

Campina Grande


11/12/2013

Considerado um dos melhores corais em atuação no País, o Coro de Câmara de Campina Grande dividirá o palco com o Grupo Iamaká neste domingo, 15 de dezembro de 2013, às 17h, na Sala Radegundis Feitosa (Campus da UFPB) para realizar o último concerto do ano nesta primeira temporada da Sala, com entrada franqueada ao público. Sob a regência do Maestro Vladimir Silva, O Coro de Câmara de Campina Grande apresentará um programa dedicado à música brasileira, com ênfase em autores e compositores paraibanos. Esse programa foi apresentado pelo Coro em 2013 em turnê realizada no Sul do País e nos Estados Unidos, com grande sucesso.

O Iamaká é um grupo interinstitucional (CCTA-UFPB e Escola de Música Anthenor Navarro), dedicado à música renascentista e contemportânea. O Grupo inclui vozes solistas, flautas doces, cordas dedilhadas e percussão, e conta com nomes como Maria Juliana (soprano), Edd Evangelista (tenor), Micherlon Franca (barítono), Marco Barcellos (flauta), Dennis Bulhões (percussão) e Erik Pronk (violão), dentre outros. Neste concerto, apresentará obras da Renascença inglesa. De acordo com o Diretor do Centro de Comunicação, Turismo e Artes – CCTA, Prof.

David Fernandes, "este concerto comemora uma história ainda curta, de apenas um ano, mas de enorme sucesso da Sala de Concertos Radegundis Feitosa, que abrigou neste período cerca de 150 eventos musicais, incluindo 25 concertos da OSUFPB, além de recitais e apresentações de músicos e professores da UFPB, do País e do exterior, provendo cultura musical ao nosso meio universitário e à comunidade em geral". A Sala de Concertos Radegundis Feitosa é administrada pelo LAMUSI (Laboratório de Música Aplicada do CCTA-UFPB), sob a coordenação do Prof. Heleno Feitosa "Costinha".

CORO DE CÂMARA DE CAMPINA GRANDE

O Coro de Câmara de Campina Grande foi fundado em março de 2010. Ensaiando três vezes por semana, o Grupo tem se dedicado à interpretação de repertório eclético, incluindo obras da Renascença ao período contemporâneo, peças para coro a cappella e com acompanhamento orquestral, a exemplo da Missa em Sol (F. Schubert), Missa em Sib (J. Haydn), Requiem para um Trombone (Eli-Eri Moura) e Missa Alcaçus (Danilo Guanais). É formado por alunos e professores universitários, bem como pessoas da comunidade. O coro é regido pelo Maestro Vladimir Silva, mas já teve a oportunidade de trabalhar com regentes convidados, dentre os quais os norte-americanos Kenneth Fulton, Randall Hooper, John Dickson e Gary Packwood.

O Coro de Câmara participou do Festival Internacional de Música de Campina Grande (2011 e 2012), do VIII Virtuosi na Serra, integrando a programação do 22º Festival de Inverno de Garanhuns-PE, e do X Festival Paraibano de Coros, em João Pessoa. Em 2012, o grupo apresentou a primeira parte do projeto "Do Litoral ao Sertão – Todos os Cantos da Paraíba", interpretando obras da literatura coral paraibana, destacando-se o trabalho de compositores como José Alberto Kaplan, Eli-Eri Moura, José Siqueira, Pedro Marinho e Reginaldo Carvalho.

Este trabalho foi o tema da primeira excursão internacional do grupo pelos Estados Unidos, país no qual realizou concertos na Chapel of Memories (Mississippi State University – Starkville/MS), Performing Arts Center (Zachary/LA), Methodist University Church (Lousiana State University – Baton Rouge/LA) e Finney Concert Hall (Texas A & M University – Commerce/TX). Este ano, o grupo foi o único na Paraíba contemplado com o Prêmio FUNARTE 2013 Concertos Didáticos. Recentemente, o Coro de Câmara de Campina Grande realizou sua primeira turnê nacional, em São Paulo, tendo se apresentado para o Coro da OSESP, EMESP, Escola Municipal de Música de São Paulo, Instituto Baccarelli, SESC Vila Mariana, Museu de Arte Sacra de São Paulo e Igreja Batista da Vila Gerte.

MAESTRO VLADIMIR SILVA

O Maestro Vladimir Silva é doutor em Regência Coral pela Louisiana State University (EUA). Estudou composição com José Alberto Kaplan; regência com Erick Vasconcelos (Brasil), Gerard Kelgman (Alemanha) e Kenneth Fulton (EUA); e canto com Jasmin Martorell (França) e Lori Bade (EUA). Já regeu vários grupos, dentre os quais o Coral Universitário Gazzi de Sá (UFPB), Madrigal Vox Nostra, Madrigal Vox Popvli, Madrigal da UFBA, LSU Chamber Singers, LSU Women’s Chorus, Orleans Chamber Singers, Madrigal da UFPI, Coro em Canto, Camerata Brasílica, Orquestra Sivuca e a Orquestra do Festival Internacional de Música de Campina Grande. Além do Brasil, já atuou como regente e solista na Argentina, França, Itália, Áustria e Estados Unidos. Tem participado de vários festivais de música, coordenando, julgando, regendo, ministrando palestras e masterclasses. Dentre os mais importantes estão o Festival Nacional de Música da UFG (Goiânia-GO, 2007), o Festival de Música de Londrina (Londrina-PR, 2008 e 2009) e o Festival Bach (Salvador-BA, 2012).

Com diferentes grupos, participou, regendo e/ou cantando, da world première de várias peças de compositores como Eli-Eri Moura, Z. Randall Stroope, Reginaldo Carvalho, Amaro Borges e Liduino Pitombeira. Desde 1993, atua no ensino superior, no âmbito da graduação e da pós, tendo colaborado com várias universidades no Brasil e no exterior. Convidado pela FUNARTE, já ministrou aulas no Painel FUNARTE de Regência Coral em Recife-PE (2008), São Carlos-SP (2010), Vassouras-RJ (2011), Belém-PA (2012) e Rio Branco-AC (2013). Vladimir Silva tem artigos publicados em diversas revistas especializadas, dentre as quais Choral Journal, Per Musi, Música Hodie, Educação e Compromisso, Opus e Ictus. Como compositor, tem escrito obras corais para diferentes formações, destacando-se as peças para vozes infantis.

Na área da comunicação, apresentou, entre 1990-1994, o programa Clássicos Eternos, pela Campina FM. Desde 2009, produz e apresenta o quadro Um toque de classe, exibido semanalmente no Programa Diversidade, da TV Itararé, afiliada da TV Cultura em Campina Grande. Atualmente, é professor da UFCG, membro do Conselho de Cultura do Estado da Paraíba e Diretor Artístico do Festival Internacional de Música de Campina Grande.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.