Economia & Negócios

Construção de complexo comercial atende ao meio ambiente e o Plano Diretor de JP

Inovação


27/02/2013

O projeto de construção de duas torres de 30 andares cada às margens da BR-230 – DCT (Due Corporate Towers) – está colocando João Pessoa na vanguarda do segmento da construção civil e, principalmente, no mercado corporativo nacional. Há projetos similares apenas em Salvador e Recife, no Nordeste. A grandiosidade da obra revela aspectos inovadores também quando se trata do meio ambiental. “A área será ocupada para atividade mais adequada, onde havia risco de invasão e uso para depósito de lixo”, afirmou o executivo José Bezerra dos Santos, diretor da Geoped Consultoria Geoambiental Ltda, responsável pelo processo de avaliação ambiental.

José Bezerra disse que o processo de avaliação levou cerca de quatro meses, quando foi feita uma avaliação estratégica do meio ambiente, no sentido de saber se poderia haver qualquer tipo de restrição. Praticamente toda a área é coberta por vegetação ruderal (com espécies de capim de burro, carrapicho, carrapateira, entre outros), não havendo outra espécie de vegetação que pudesse comprometer a execução do projeto. “Está dentro dos padrões normais, com estudos mais aprofundados. A obra recebeu autorização de licenciamento por parte da Sudema (Superintendência de Administração do Meio Ambiente).

Ainda durante o processo de avaliação de impacto ao meio ambiente, José Bezerra disse que houve a autorização de limpeza de área, demarcado de uso do local, etiquetado para atender o primeiro nível do projeto. Seguiram então procedimentos de drenagem, estruturação da área até o início do envolvimento do setor de engenharia civil e de arquitetura, que trabalha acoplado ao pessoal do meio ambiente, segundo o executivo, “para que não haja um descompasso de uso e ocupação da área”.

No aspecto urbano, José Bezerra afirmou que o projeto do DCT, além de já ter todas as licenças ambientais, também atende e está compatível com as diretrizes do Plano Diretor de João Pessoa. O empreendimento atende à finalidade do uso do terreno para uso de empreendimentos, conforme recomenda o Plano Diretor. O DCT, que será lançado no próximo sábado, dia 02 de março, pela Planc, será erguido em uma área de cerca de 10 mil metros quadrados e passará a ser o ícone da construção civil voltada para edifícios exclusivamente para o setor corporativo, atendendo à tendência de mercado, que aposta na prestação de serviços exclusivos, de fácil acesso, conforto e segurança.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //