Saúde

Complexo Hospitalar de Patos realiza Censo de ocupação de leitos Covid e alerta para aumento de internações


14/01/2022

A taxa de ocupação de leitos de UTI Covid no Complexo voltou a cair na Paraíba (Foto: Divulgação/Assessoria)

Portal WSCOM

Nas duas últimas semanas tem aumentado a ocupação de leitos com pacientes com problemas associados à síndrome respiratória e chegamos a uma ocupação importante de leitos nas enfermarias e na UTI de pacientes com sintomas respiratórios. O alerta foi feito nesta sexta-feira (14) pelo diretor técnico do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), Dr. Pedro Augusto. De acordo com o último boletim do setor de isolamento da unidade uma das UTIs Covid atingiu sua capacidade de 100% de ocupação, com seis pacientes graves, e o número de internações nas enfermarias está crescente. O censo do Hospital disponibiliza 32 leitos de UTI, em três espaços distintos, e 34 leitos de enfermaria.

Segundo Dr. Pedro, o Complexo teve um ambiente tranquilo em novembro e dezembro, mas, agora em janeiro começou o agravamento de uma situação epidemiológica com o aumento dos casos de Covid e da gripe Influenza. “Atualmente, estamos com uma de nossas UTIs Covid 100% ocupada e estamos nos reorganizando para atender essa demanda, inclusive, com o agravamento de outras doenças respiratórias, como a Influenza, com uma cepa nova que é a H3N2, que era desconhecida até o ano passado”, reitera o médico.

Ainda de acordo com Dr. Pedro Augusto, todos os pacientes que entram no Complexo com sintomas respiratórios são submetidos ao teste do Swab que tem um combo de identificar infecção pelo H3N2, pelo H1N1 e ainda pelo Sars Cov 2. O médico alerta, no entanto, que o uso de EPIs, de máscaras, a constante lavagem de mãos e evitar aglomerações continuam sendo medidas muito importantes neste novo momento epidemiológico. “Qualquer sintoma que se sinta, deve-se procurar um pronto atendimento, UPA ou UBS para iniciar o tratamento, evitar a automedicação, o uso de corticoides e antibióticos na fase inicial da doença. Deixe para usar esses medicamentos para se houver infecções associadas e, sobretudo, manter os cuidados preventivos descritos acima”, reforça Dr. Pedro, lembrando que o Complexo só deve ser acionado pela rede de atenção básica quando houver necessidade de internação e de cuidados hospitalares.

O diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, faz um apelo à população. “Evitem aglomerações, não descuidem das medidas protetivas. Além das novas variantes da Influenza, ainda mais agressivas que as anteriores, ainda identificamos o aumento dos casos de Covid. Estávamos com a ocupação de leitos para pacientes respiratórios caindo, mas, observamos que essa situação mudou nas duas últimas semanas e se intensificou nesta, o que nos deixa preocupados e atribuímos isso a flexibilização das medidas restritivas e também ao relaxamento das pessoas que passaram a sair mais, a negligenciar no uso de máscaras, aglomerar mais e isso é tudo o que essas doenças precisam para ampliar o número de contaminados”, afirmou Francisco, solicitando apoio da população para que faça a sua parte no combate a proliferação tanto da Covid, quando da Influenza.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.