Esporte

Com surto de Covid-19 no elenco, Santos tenta adiar jogo contra o Inter

11/11/2020


Cuca e dez jogadores do Santos estão com Covid — Foto: Ivan Storti/Santos FC

GE

O Santos pediu o adiamento do jogo contra o Inter, marcado para sábado (14), às 16h30, na Vila Belmiro, válido pela Séria A do Brasileirão por causa do surto da Covid-19 no elenco. Dez jogadores contraíram o vírus, além do técnico Cuca e do auxiliar Cuquinha, que vinha comandando o clube na ausência do irmão.

A informação foi confirmada pelo superintendente de esportes, Felipe Ximenes, em entrevista coletiva virtual convocada pelo clube na manhã desta quarta-feira.

“Fizemos a solicitação (para adiamento do jogo), mas ainda não obtivemos resposta”, disse o dirigente, que se mostrou pouco confiante no sucesso do pedido.

“Todos os presidentes de clubes assinaram, antes do reinício do futebol, um número mínimo de atletas para entrar em campo. Em Palmeiras x Flamengo foi assim, por exemplo. Acreditamos que o adiamento seja muito pouco provável”, emendou Felipe Ximenes.

Veja a lista dos infectados com o coronavírus:

 • Alison (volante);
 • Alex (zagueiro);
 • João Paulo (goleiro);
 • Lucas Veríssimo (zagueiro);
 • Jobson (volante);
 • Diego Pituca (volante);
 • Sandry (volante);
 • Jean Mota (meia);
 • Madson (lateral-direito);
 • Vladimir (goleiro);
 • Cuca (técnico);
 • Cuquinha (auxiliar de Cuca, que vinha comandando o time);
 • Eudes Pedro (auxiliar de Cuca);
 • Arzul (preparador de goleiros).

Contaminação no aeroporto?
Felipe Ximenes foi questionado se o surto da Covid poderia ter relação com uma manifestação de apoio da torcida no aeroporto antes do jogo contra o Ceará, pela Copa do Brasil. Muitos torcedores estavam sem máscara e tiveram contato próximo com os jogadores.

“Esse tipo de situações, ilações sobre futuro, são perigosas. Passado é mais complicado ainda. Contato ali foi breve, rápido, difícil a gente colocar uma situação como essa. Controlar uma torcida que quer se manifestar não serve muito para o que podemos pensar daqui para frente. Torcida do São Paulo fez grande manifestação agora para o jogo contra o Flamengo. A gente viaja em avião com mais de 100 pessoas, não sabemos os contatos”, disse.

Protocolo
O chefe do departamento médico do Santos, Ricardo Galotti, também esteve presente na entrevista. Ele explicou os protocolos adotados pelo clube.

“O Santos elaborou protocolo embasado na FPF e Comitê Médico da CBF. Esse protocolo foi apresentado ao secretário de saúde de Santos e aprovado. Nosso CT foi visitado pela vigilância sanitária. Todas as medidas de prevenção foram aprovadas. Tivemos dois casos desde o reinício do Campeonato Paulista. Na última semana a equipe foi acometida por um surto, com aumento de casos. Vírus é comunitário, presente em todos os lugares. Podemos ser contaminados em restaurante, supermercado… O Santos realizou uma nova testagem de todos os funcionários do CT para termos segurança de trabalho, com plena recuperação”, afirmou.

“Protocolo vai ser mantido. Pessoas que entram no CT fazem testagem. Ninguém entra sem teste e máscara. Vamos redobrar atenção, ter mais rigidez. Mas nosso protocolo é bem feito e continuará cumprido à risca, continuou Galotti.

O médico também falou sobre o período de isolamento dos jogadores, visando a partida diante da LDU, no dia 24 deste mês, válida pela ida das oitavas de final da Libertadores.

“Protocolo na CBF é de afastamento de 10 dias. A partir de 10 dias estarão liberados para jogar. E cada país tem legislação diferente. No Uruguai e Chile, atletas com PCR positivo não podem entrar. No Equador, a gente solicitou para a Conmebol mostrando que atletas cumpriram 10 dias de isolamento e sem sintomas, e nos liberou para a entrada para a partida. O que vai ser feito? Depois dos 10 dias os atletas vão para novos exames, cardiológicos e de sangue. Se estiverem aptos, vão voltar a treinar. E poderão ter ótimo desempenho em Quito”, afirmou.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.