menu

Futebol

31/01/2013


Timão volta com virada sobre o Mogi

Paulista

 Mais de 20 mil corintianos foram ao Pacaembu nesta quarta-feira porque queriam matar a saudade dos campeões mundiais, que não atuavam desde a vitória sobre o Chelsea, no Japão. Mesmo sem ritmo e com nove dos 11 titulares estreando na temporada, o Timão não decepcionou seu torcedor e venceu o organizado Mogi Mirim por 2 a 1, de virada, com gols de Jorge Henrique e Fábio Santos. Das tribunas, o atacante Alexandre Pato viu tudo e vibrou com a vitória alvinegra.

Pato treinou nesta quarta e foi com a delegação ao Pacaembu, participando da preleção e entrando no clima da equipe. Sua estreia deve ser no domingo, contra o Oeste de Itápolis, às 17h, no mesmo local. Em campo, o Timão apresentou dificuldades, principalmente na defesa, mas soube reagir e buscar a virada. O Mogi teve um impedimento não marcado em seu gol, mas reclamou do pênalti sofrido por Jorge Henrique que gerou a virada corintiana.

O resultado leva a equipe de Tite aos sete pontos, mesmo número do Mogi, e os dois rivais passam a brigar pelas primeiras posições na classificação do Campeonato Paulista. A equipe do interior terminou o duelo com dois jogadores expulsos: Roni e Val, que abusaram da força em alguns lances. Eles não enfrentam o Bragantino, domingo, em Mogi.

Jorge Henrique, do Corinthians, em ação no jogo contra o Mogi Mirim (Foto: Marcos Bezerra / Ag. Estado)

Susto, empate e aplausos do reforço
Das tribunas, Alexandre Pato pôde sentir um pouco da emoção que terá quando entrar em campo. A torcida que compareceu ao Pacaembu gritou o nome de todos os campeões mundiais – alguns com mais força, outros com menos – e deu combustível extra aos titulares que estreavam na temporada. Em campo, porém, a falta de ritmo de jogo foi clara.

Com maior qualidade, o Timão até tomou a iniciativa e parecia não ter perdido a pegada da decisão contra o Chelsea: marcação no campo de ataque, pressão de Jorge Henrique e Sheik em cima dos laterais e transições rápidas que animaram os corintianos. Guerrero teve duas boas chances, de cabeça e em um chute de fora da área. Ambos passaram à direita do goleiro Daniel.

A falta de ritmo cobrou seu preço na defesa, que apresentou muitas dificuldades. O organizado Mogi Mirim abriu o placar em seu primeiro contra-ataque, aos 9 minutos. Correria pela direita, passe para Carlos Alberto e cruzamento rasteiro para Henrique, que se antecipou à marcação de Gil e tocou sem chances para Danilo Fernandes. No primeiro lance, Carlos Alberto estava em posição de impedimento. Por aquele setor, Paulo André e Fábio Santos deram espaços na marcação.

Por alguns minutos, o Corinthians parou no ferrolho montado pelo técnico Dado Cavalcanti. Duas linhas de quatro jogadores, um volante entre eles, e apenas Henrique isolado no ataque. Bem organizado e com marcação fortíssima, o time do interior exagerou em alguns lances, irritando os alvinegros aos poucos. O resultado foi a expulsão de Roni, no fim do primeiro tempo.

O Corinthians já martelava, mas, com um jogador a mais, apostou no que tem de melhor: as rápidas trocas de passes. Foi assim que Emerson recebeu livre pela direita e cruzou rasteiro para Jorge Henrique completar, aos 43 minutos. Primeiro gol dos campeões do mundo em 2013, para alegria de Pato. Das tribunas, ele aplaudiu e não escondeu o sorriso. Pouco depois, acenou para a torcida e recebeu uma prévia do que poderá viver domingo, contra o Oeste, dia de sua provável estreia.

Timão vira e depois só administra
Passada a euforia com a aparição de Pato na plateia, o torcedor queria ver resultados em campo. Um pouco mais solto, o Timão foi mostrando algo mais próximo daquele futebol eficiente de 2012. Prova disso foi o passe preciso em diagonal de Emerson Sheik para Jorge Henrique, que se enrolou com Piauí e sofreu pênalti – muito contestado pelo Mogi Mirim. Aos 6, Fábio Santos cobrou no ângulo direito de Daniel, sem chances para o goleiro: 2 a 1.

cA virada no placar tranquilizou o Corinthians. O toque de bola sem pressa marcou o futebol alvinegro no segundo tempo. Sem alternativa, o Mogi tentou assustar na base do desespero e da bola aérea. Dado Cavalcanti colocou o meia Wagninho no lugar de Roniery, mostrando que não tinha medo de buscar o empate. Ele só não contava com as jogadas duras de Val, que em seis minutos levou dois amarelos e acabou expulso, aos 19 minutos.

Com nove contra 11, ficou mais fácil para o Timão administrar o resultado. Tite até se deu ao luxo de fazer testes, colocando Renato Augusto no lugar do extenuado Danilo. O reforço corintiano atuou pelo lado esquerdo, em cposicionamento diferente daquele que ocupou em sua estreia, contra o Mirassol.

O Mogi não levou mais perigo, e a torcida pôde matar as saudades dos campeões mundiais com uma vitória no Pacaembu. Domingo tem mais, contra o Oeste. Desta vez, com Alexandre Pato de uniforme, chuteiras e pronto para estrear pelo Corinthians.