Política

Sucessão 2020: governador, prefeito e líderes da disputa vivem fortes conflitos com diferentes valores e impactos

03/08/2020


Jornalista Walter Santos (Portal WSCOM)

Quem tem um mínimo de juízo de valor político na Paraíba sabe que a sucessão de 2020 será decisiva para a vida futura do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, do governador João Azevêdo, do ex-governador Ricardo Coutinho, do ex-prefeito Cicero Lucena e de vários atores importantes a envolver Ruy Carneiro, Wilson Filho, Nilvan Ferreira, Raoni Mendes, Anísio Maia, João Almeida, Eduardo Almeida,.etc.

É deste conjunto de candidatos e influenciadores que depende o futuro da Capital.

OS DRAMAS E COMÉDIAS

O prefeito da Capital convive com a decisão de ter anunciado o nome de Edilma Freire, ex-secretária de Educação, já registrando desfalques e não apoios, o que gera muita preocupação e queda de perspectiva da candidatura.

No caso de Azevêdo, há quem diga que ele cuida de candidatura própria porque chegando em inicio de agosto, Cicero Lucena não apresentou prometida Certidão do TCU, nem conseguiu compromisso do PP de não lançar Daniela Ribeiro ao governo em 2022. Isto afasta aliança com Cicero.

FUTURO DE RICARDO

O ex-governador trabalha a hipótese de ser candidato a prefeito, e não a esposa como anunciou, agora motivado por pesquisa e pragmatismo. É do tipo, ou tudo ou nada. Detalhe: não terá apoio inicial de nenhum partido de Esquerda na Capital e isto enfraquece o projeto socialista.

Todo este contexto, sem contar os efeitos desastrosos da Operação Calvário, contradições e questionamentos a levá-lo a um nível de forte rejeição, algo inimaginável há algum tempo atrás. Há problemas.

AS DEMAIS CANDIDATURAS

Existem vários projetos de elaboração inibidora no debate sobre o futuro da Capital, a exemplo de Ruy Carneiro, Raoni Mendes, Wilson Filjo, João Almeida, Eduardo Carneiro e até popularmente Nilvan Ferreira com força, mas no campo ideológico a candidatura de esquerda mais forte e contraponto é a de Anísio Maia unindo, pela primeira vez,1 todo PT como nunca existiu..

O PCdoB joga aguardando o apoio do governador em Campina, dai vacila no apoio prometido ao PT que enrola e demora.

Ah! tem a extrema-direita com Julian Lemos e Walber Virgolino com queda vertiginosa, mas não ensaiam perspectiva de vitória.

É este cenário real, doa a quem doer.

Leia outros artigos

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.