Feliciano Neto

Professor e Consultor em Gestão de Marcas.

Marketing

Quem veio primeiro? O conteúdo ou o post?


15/08/2021

Imagem por: Adem AY on Unsplash

A construção de uma presença digital relevante é um objetivo que está (ou deveria) no planejamento de qualquer empresa atualmente. Uma ideia que pode parecer muito simples no papel, mas que tem suas nuances ocultas de complexidade, podendo transformar essa jornada em uma experiência frustrante para muitos de nós.

O fato de existirem tantos discursos prontos a respeito do poder do conteúdo e da mágica do marketing digital, também contribui para que muitas marcas se encontrem desencorajadas a perseverar com seus esforços de investimento nessa área.

Sim, concordo que conteúdo é uma poderosa estratégia de posicionamento e que os resultados que boas ações de marketing digital podem parecer mágica, mas antes de experimentar essa realidade, devemos nos tornar peritos no óbvio. Afinal, ninguém consegue escrever poesias complexas, sem antes conhecer os fundamentos da linguagem.

Sugiro, portanto, que preste atenção nesses 3 fundamentos a seguir. Eles te farão entender que antes dos resultados, há sempre um trabalho duro a ser feito, e que a verdadeira mágica é fruto de muita competência e disciplina.

1 — O conteúdo vem antes do marketing (e do marketing de conteúdo também)

Não se deve criar campanhas antes de ter um produto e conhecer seus pontos fortes. Simplesmente não seria possível argumentar com o mercado e convencer os consumidores. Investir pesado na divulgação de produtos ruins cuja experiência de consumo resultaria em decepção e descrédito, é pura estupidez.

Já percebeu o óbvio? Pessoas consomem conteúdo da mesma forma que consomem produtos e serviços. Quanto mais cedo sua marca se der conta que precisa tratar o conteúdo que gera sob essa lógica, melhor aprenderá a lidar com isso.

Portanto:

Crie conteúdo pensando em seus consumidores, algo que lhes seja útil e entregue uma boa experiência.

Tenha apreço pela qualidade, faça testes, ajustes e escolha profissionais competentes para esse trabalho. Não “lance” conteúdo sem o mínimo de segurança nele.

Dê suporte ao seu conteúdo, abra canais para receber feedback e use essas informações para estreitar os laços com seus consumidores com honestidade e consistência.

Lembre-se que seu conteúdo não precisa ser baseado no que você faz, mas no que você é, ou seja, nos seus valores.

2 — O conteúdo vem antes dos formatos

O autor (e meu grande amigo) Ricardo Oliveira, em seu livro: O Futuro do Conteúdo: Princípios e tendências para planejar sua presença nas mídias sociais, afirma com muita lucidez:

“Ao contrário do que muita gente possa pensar, ele (o conteúdo) não começa nas ferramentas ou novas tecnologias de informação e comunicação — ele termina com isso.”

Em outras palavras: a tal da presença digital, não precisa ser uma onipresença digital. As plataformas que estão aí hoje, podem não estar amanhã, portanto, retire dos seus ombros, o peso e a ansiedade de estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Olhe bem para o seu conteúdo e reflita a respeito de quais formatos seriam mais adequados para ele.

  • A RedBull construiu um “Netflix” com conteúdo gratuito de esportes radicais (RedBull Content Pool).

 

  • A Nestlé tem um portal super completo de receitas, até com recurso de busca filtrada pelos ingredientes que o consumidor tem em casa.

De fato, nem a Redbull, a Nestllé e nem qualquer outra marca que aposta em conteúdo como parte do seu serviço, deixa de participar ou de ter voz nos canais digitais do momento. Todas têm contas ativas no Instagram, Facebook, etc. Mas dá para notar que seu conteúdo não depende dessas plataformas para sobreviver, ele toma a forma mais adequada e relevante ao seu consumo.

3 — O conteúdo vem antes do resultado

Quero deixar bem claro que quando falo de resultado, não me refiro a faturamento. Estou falando de posicionamento. De ter a sua missão reconhecida e de tornar-se referência. Toda marca tem essa chance, seja qual for o seu segmento ou porte, principalmente, se a produção de conteúdo fizer parte da sua filosofia.

A rotina de gerar conteúdo contribui para o autoconhecimento e este, consequentemente,  aprofunda o senso de utilidade da organização. Isso produz na marca uma inquietação constante pela excelência, impulsionando o aperfeiçoamento, tanto dos processos de gestão quanto dos diretamente relacionados ao mercado. Um princípio que você deve conhecer como INOVAÇÃO.

Sim, conteúdo e inovação são conceitos praticamente indissociáveis para os meros mortais que não estão participando nas pesquisas tecnológicas que envolvem o uso de novos elementos químicos ou diminuição da quantidade nanômetros em processadores de computador. Para nós, é o caminho mais acessível e mais coerente para encontrar a veia de inovação que tanto precisamos.

Para mais conteúdo sobre o mundo das marcas, visite minha página no Instagram: https://www.instagram.com/metagestao/ ou meu canal no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UC-9hpJfBawCcaKPPpPLrl9A.

 


O Portal WSCOM não se responsabiliza pelo conteúdo opinativo publicado pelos seus colunistas e blogueiros.
Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.