Política

Quando a opção pela vida é prioritária diante de alianças políticas e de adversários contra a ciência como bem coletivo

31/05/2020


Jornalista Walter Santos (Portal WSCOM)

João Pessoa convive com novo conflito de interesses com a manifestação de setores da sociedade absolutamente autoritários ao tratar recomendações cientificas, comprovadamente apontando índices maiores de óbitos em série como fator de confronto político em nome de tudo, menos da preservação do maior número possível de vidas.

O caso é de tamanho efeito político que duas figuras públicas, ex-esposas de líderes partidários na mesma bandeira, unindo bolsonaristas e parte socialistas ignorando de propósito a orientação do Comitê Científico liderado pelo cientista Miguel Nicollelis de preservar o isolamento para evitar milhares de mortes seguramente previstas!

Não há dúvidas também que outros personagens, como é o caso do pre-candidato Nilvan Ferreira, se posiciona com postura radical desprovida de abrigo científico, mas de alinhamento bolsonarista na política do quanto pior melhor para satisfazer líderes seus a partir do empresário Roberto Cavalcanti.

Em síntese, embora a tese da sobrevivência econômica mereça atenção, não há dúvidas de que, mesmo com essas reações, o governador João Azevêdo e os prefeitos da Grande João Pessoa agem de forma absolutamente correta em favor da preservação da vida.

Leia outros artigos

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.