Economia & Negócios

Produzir manga é bom negócio apesar da oscilação de preço

15/12/2020


Foto: autor desconhecido.

Os resultados financeiros de um modal produtivo de manga em Petrolina-PE, maior produtor desta cultura no semiárido do Nordeste, entre os meses setembro de 2019 e o mesmo mês de 2020, apresentaram oscilações em termos de margem de lucro ao produtor.

Segundo dados da Confederação Brasileira da Agricultura e Pecuária (CNA), em termos médios, a receita do mês de setembro foi de R$ 1.597,50 por tonelada. O Custo Operacional Total (COT), aquele que compreende os desembolsos anuais, a remuneração do proprietário pela administração do negócio e os custos implícitos com as depreciações de maquinário, implementos, benfeitorias e lavouras, foi de R$ 919,56 por tonelada, o que proporcionou a margem líquida de R$ 677,94 por tonelada. Contudo, esse cenário já esteve melhor na comparação com agosto de 2020, a margem líquida apresentou redução de 22,6%.

A maior oferta em decorrência da colheita em outras regiões do País, principalmente na Região do Nordeste, contribuiu com essa redução de preço recebido pela tonelada da fruta em setembro.

Na comparação com setembro de 2019 a margem líquida apresentou elevação de 170,2%. De modo geral, o preço pago pela tonelada da manga exibiu forte valorização no período, enquanto os custos de produção apresentaram pequena redução. O comportamento do COT e da receita média da produção de manga no modal de Petrolina entre os meses de setembro/2019 e setembro/2020 é apresentado no gráfico.

Leia outros artigos

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.