Geral

Paraíba e seus conflitos

10/10/2003


Foto: autor desconhecido.

Há em voga em setores oficiais, e fora deles, o sentimento latente em mentes e corações abrigando a vindita ou briga sem fim, que deixa a nú o conflito político – partidário estadual como elemento maléfico na construção de um tempo mais próspero para a economia e as pessoas.
    
Poucos são os lugares na Paraíba em que a cor verde ou vermelha, se usada, não seja tratada como identidade de opção partidária por uma das duas maiores forças políticas, hoje figuradas nas pessoas do governador Cássio Cunha Lima (PSDB) e do senador José Maranhão (PMDB). O sujeito pode até não estar com a intenção dessa tipificação, mas é só usar uma das cores para logo ser rotulado.
    
Por incrível que pareça, a terceira força do processo – o Partido dos Trabalhadores não incorpora ainda a condição de alternativa de força intensa porque sua ex-maior expressão já está fora da legenda – no caso Ricardo Coutinho, sobrevivendo numa ação pontual da eleição na Prefeitura de João Pessoa.

O PT reage com Avenzoar Arruda, embora precise de mais fôlego para recuperar a dimensão do partido de Lula na disputa da Capital, e assim, ser tratado como força estadual.
    
Volta e meia, nota-se a renovação do clima de 1930 com diferenças apenas do tempo cronológico, das armas, personagens e conceitos atualizados com a consequência imediata de não se permitir o crescimento alheio. É aquela velha história: se não faz, não se deixa o outro fazer.
    
Independentemente, percebe-se também a impaciência de Cássio, hoje, para com a cultura da GAE existente movida pela busca incessante da classe política e das pessoas – especialmente da classe média para cima – querendo a todo custo emplacar gratificação qualquer como sustento. Sem indústria forte nem outra fonte de relevo, as atenções do Estado se afunilam na GAE.
    
Só que, no paralelo, o Governo não sufoca a existência de cultura localizada, perigosa, de tratar muito desigual quem não lhe é semelhante. Isso merece reflexão porque a função oficial não é instituir formas de discriminação, portanto, a manutenção desse clima afeta as autoridades maiores porque, em existindo, parecem ser condição avalizada.
    
Como tanto já foi dito, para quem tem a condição de vencedor, não basta tratar melhor os seus porque, comumente, consegue sobressair – se mais e melhor quem supera intrigas e não deixa que a vontade dos exaltados vingue como forma de banir os vencidos.
    
Na inversão posta, à Oposição cabe o direito do exercício democrático, mas contribuindo efetivamente nas horas em que o somatório de forças, como na briga pelo orçamento da Paraíba no Congresso Nacional, por exemplo, exige apoio ao Governo para ações de crescimento futuro coletivo do Estado.
    
Do contrário é não sair do canto, ou, no máximo, dar passos à quem dos vizinhos estados ao lado.
    
Ação itinerante
    
A Assembléia Legislativa soube se servir da proximidade do aniversário de Campina Grande para promover a sessão itinerante com as presenças de 23 dos 36 deputados, afora de autoridades e figuras homenageadas com títulos de cidadania.
    
A expansão de público no auditório da Fiep se deu também porque a sessão acabou conjunta com a Câmara Municipal.
    
Conversações    

O senador José Maranhão se diz atento com todos os movimentos produzidos na sucessão municipal em João Pessoa, portanto, garante que os entendimentos com todas as forças partidárias de Oposição ainda vão prosseguir.
    
Ele confirmou conversa com Avenzoar Arruda e novos encontros com o PT nos próximos dias.
    
Pesca vs Pólo
    
O arrendamento de barcos imediatamente é a primeira ação do setor de Pesca na Paraíba nesta nova fase de envolvimento de todos os níveis de governo com a iniciativa privada.
    
O ministro da Pesca, José Fritsh, garantiu ontem que o edital já publicado tem aplicação imediata.
    
Na seqüência, as ações se voltam para a instituição de Cabedelo como Pólo Pesqueiro.
    
PFL com Ruy
    
Fruto de entendimentos preliminares, o senador Efraim Morais anunciou ontem que o PFL está mesmo propenso a apoiar o deputado Ruy Carneiro à Prefeitura da Capital. ` Vai depender exclusivamente do desempenho dele´, justificou.
    
Mesmo assim disse que o PFL ainda dispõe dos nomes de Wilson Braga, Reginaldo Tavares e Fernando Milanez como alternativas à disputa.
    
Umas & Outras
    
… Só foi revelar a raiz de minha condição de rubro-negro, ontem, para chover de gente reagindo de tudo o que é jeito. Calma, pessoal! Sou do tempo do Íbis da Torre, campeão amador da Capital, de orgulho a todos da aldeia.

…Dois auditores estiveram no curso da semana no Sebrae da Paraíba.
    
… O senador Ney Suassuna está em Miami.
    
… Segunda-feira tem debate sobre o carnaval na Câmara de João Pessoa.
    
… A animadora cultural Maria Arminda andou dando sustos à turma de Ugo Guimarães, mas recuperou-se à altura passando às atividades normais na Fundação José Lins do Rego.
    
Última    

` É necessário transformar a vida/ essa fagulha de tempo..´
    
    
    

    
    

Leia outros artigos

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.