Marcos Tulio Gomes

Gestor e Tecnólogo.

Economia & Negócios

O perfil e as oportunidades para os profissionais no pós-pandemia


18/06/2021

Guilherme Fontana, Diretor da Estácio Paraíba

Vivenciamos um processo de transformação gigantesco. As relações humanas estão passando por esta transformação neste exato momento. O brasileiro como um dos povos mais afáveis do mundo, sempre recebendo todos com abraços e beijos, hoje apenas acena ou dá soquinhos.

Se o povo brasileiro já tem diversos hábitos saudáveis como tomar banhos e escovar os dentes várias vezes ao dia, hoje incorpora o hábito de usar máscaras, álcool em gel e manter o distanciamento social.

E como está este processo de transformação no ambiente corporativo? Meu convidado de hoje – Guilherme Fontana, Diretor da Estácio Paraíba – nos trouxe uma brilhante reflexão sobre este assunto.

Guilherme Fontana afirma que uma das mudanças mais disruptivas adotadas na pandemia foi a adoção do modelo Home Office. Howard Gardner, escritor e criador da teoria das inteligências múltiplas, afirma que os seres humanos possuem um conjunto de inteligências que podem ser combinadas de acordo com os estímulos percebidos ao longo da vida, tais como: inteligência lógico-matemática, inteligência espacial-visual, inteligência verbo-linguística, inteligência interpessoal, inteligência intrapessoal, inteligência naturalista, inteligência corporal-cinestésica e inteligência musical. O diretor acadêmico destaca a inteligência intrapessoal como uma das inteligências que será muito necessária desenvolvê-la, pois compreende o conhecimento de si na relação com as demais pessoas, tanto no momento em que vivemos, quanto no pós-pandêmico.

Guilherme afirma que é muito importante conhecer suas limitações e suas potencialidades, mas, em um cenário em que os profissionais precisam desenvolver ainda mais a autogestão em virtude do trabalho home office que existe rigoroso controle da rotina.

Uma outra inteligência destacada pelo gestor é a interpessoal, a qual, mesmo com as restrições de distanciamento social, é indispensável conseguir gerar boas relações com as equipes de trabalho e criar novos contatos. É sabido entre os gestores de recursos humanos que a grande maioria das contratações empresariais são pelas habilidades técnicas, em contrapartida as demissões acontecem muitas das vezes por conflitos que foram gerados nas relações interpessoais. O grande ensinamento para o sucesso profissional que o gestor Guilherme Fontana deixa registrado é que “devemos criar o sentimento de empatia em relação aos colegas de trabalho e entregar resultados”.

Unidade da Estácio (Reprodução)

Perguntei ao gestor sobre as mudanças tecnológicas que ele tem enfrentado no trabalho ao longo destes dois anos e ele me respondeu o seguinte: Especialistas apontam que o caminho das futuras profissões está relacionado às áreas de tecnologias e das relações pessoais. Nestes últimos dois anos temos visto que a implantação de novas tecnologias acelerou o processo de transformação empresarial. Plataformas de reuniões remotas, novos aplicativos e ferramentas sendo lançadas em grande velocidade. Saber usar estas inovações serão pré-requisitos para entrar e permanecer no mercado de trabalho.

Guilherme Fontana ainda dá dicas para que os profissionais busquem se adaptar rapidamente às mudanças tecnológicas e as dinâmicas sociais, e finaliza abordando profissões mais buscadas na instituição, tais como: Analista de Big Data, Analista do Desenvolvimento de Sistemas, Facilitador de TI, Gestor de Qualidade de Vida e Analista de Ética. Afirma que a procura por estas áreas continua crescendo.

Eu também perguntei para o professor Guilherme, como se preparar para estas novas profissões e ele me respondeu: “Evidentemente a formação acadêmica é o caminho para conquistar o conhecimento técnico que o mercado vai demandar. A certificação deve garantir que aquele profissional conseguiu adquirir competências gerais da área correspondente. Procure instituições de ensino que além da qualidade acadêmica, também possuam sua marca reconhecida nacionalmente, pois, hoje, com o trabalho home office, as empresas devem contratar profissionais em qualquer local do país. Assim, um dos diferenciais na ampla concorrência é possuir diplomas de faculdades nacionalmente conhecidas”.

E fechando com chave de ouro o professor Guilherme ainda completou que é de suma importância que os atuais profissionais busquem desenvolver suas competências relacionais e técnicas para manterem-se empregados e até mesmo ingressarem em novas conjunturas e novos desafios, pois administrar as emoções, ser flexível para se adaptar e entender que mesmo no modo não presencial as relações humanas são parte das exigências contratuais nas corporações, a fim de garantir o sucesso profissional.

Sugestões, críticas e elogios? [email protected]

Marcos Tulio Gomes
Gestão e Tecnologia


O Portal WSCOM não se responsabiliza pelo conteúdo opinativo publicado pelos seus colunistas e blogueiros.
Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.