Política

Neste tempo obscuro com mais de 320 mil mortes pela Covid, quando a ciência fará do Brasil um país lúcido e coletivo?


04/04/2021

Na imagem, o jornalista e analista político Walter Santos (Portal WSCOM)

Domingo de Ramos celebra o triunfalismo da chegada de Jesus em Jerusalém numa fase da história do Cristianismo até hoje marcando a vida da humanidade e seus estágios de sacrifícios. Neste domingo atual, entretanto, estamos diante do Papa Francisco cumprindo protocolos e restrições de acúmulo de fiéis, ainda clamando por vacinação geral sobretudo aos países pobres, embora o Brasil se comporte fora da curva convivendo com o negacionismo oficial a gerar mais de 320 mil mortes pela Covid.

Pior: tudo isso abrigando parte da religiosidade ligada a setores neopentecostais defendendo o agrupamento de pessoas ignorando a Covid numa sanha maluca em nome da Fé pregando o uso da força (vide Roberto Jefferson incitando a morte) para desespero das autoridades estaduais sadias e responsáveis, sem as quais estaríamos em estágio de Inferno incontrolável.

Neste caso, a Igreja Católica tem agido de forma responsável e sensata.

RESPONSABILIDADE DO GOVERNO

Este volume de óbitos em todo País se torna mais grave porque o Estado brasileiro, melhor dizendo o Governo Federal é o principal responsável pelo saldo extremamente negativo de tudo por falta de providências adequadas desde 2020 à base da ciência para estancar e resolver a pandemia com protocolos saudáveis e eficientes. Bolsonaro instigou e instiga exatamente o contrário e é responsável com sua equipe por todos os desmandos.

LOCKDOWN E PROVIDÊNCIAS

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, de fato enquadrou Bolsonaro ao adotar o uso de máscaras e distanciamento – mas neste último caso ao rechaçar o Lockdown polida o negacionismo de Bolsonaro porque a ordem científica já indicou o fechamento há algum tempo atrás como única forma de resolver a parada.

Mas, Bolsonaro mais do que negacionista praticante não quer Lockdown porque para isso acontecer o governo federal precisa encarar a Urgência de refazer as contas públicas para ampliar muito mais o valor do Auxilio Emergencial e o apoio às micro e pequenas empresas de forma melhor resolvida ajustando para os R$ 600,00 por mais tempo, entre outras providências.

Nos Estados Unidos, além dos U$ 2 trilhões de Trump em 2020, em 2021 já foram aprovados U$ 1,9 trilhão em fevereiro e agora em março mais U$ 2 trilhões- ao todo U$ 3,9 trilhões enquanto no Brasil Bolsonaro quer resolver com a merreca de R$ 44 Bilhões, que não mata a fome dos brasileiros famintos.

É isso. Iniciamos nova semana precisando manter o debate e ajustar as políticas públicas pois a fome não espera.

Leia outros artigos

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.