Alek Maracajá

Analista de dados

Opinião

“Formação Conservadora”: Carluxo lança curso de marketing e família Bolsonaro dá início a movimento paralelo na política


31/01/2024

A saga de Carluxo e suas incríveis trapalhadas no mundo do marketing digital continua firme e, no último episódio desta comédia, temos a cereja do bolo: Carluxo lança curso de marketing digital “Formação Conservadora”, oferecido pela Eduardo Bolsonaro Cursos Ltda. É quase como confiar nossas crianças aos cuidados da Cuca, não é mesmo?

Afinal, Bolsonaro já perdeu muito por conta de erros infantis em sua estratégia de marketing. Mas nem sempre foi assim. É preciso ressaltar que, lá atrás, no início das primeiras investidas de Bolsonaro nas mídias digitais, algumas ideias deram certo, mas faltou maturidade (e conhecimento) para acompanhar as mudanças de público, tendências e mercado.

Analisando o crescimento exponencial de Jair Bolsonaro nas redes sociais em 2017, podemos dizer que ele parecia ter encontrado a fórmula perfeita da comunicação direta e prática com o povo brasileiro, como um mágico tirando coelhos da cartola. No entanto, durante o seu mandato, parece que o mesmo mágico esqueceu seus truques.

Imagine Bolsonaro se dirigindo ao seu famoso “Cercadinho”, onde diariamente falava com apoiadores e imprensa. Essa estratégia, que deveria ser um momento de conexão e fortalecimento, acabou se transformando em uma série de episódios de “Como Não Fazer Comunicação – a série”.

E aqui entra Carlos Bolsonaro, o filho e estrategista de marketing, que, em vez de ajudar, às vezes parecia mais um cozinheiro de um prato só: confusão. Durante as crises, as estratégias de Carlos não só deixavam a desejar, mas também pareciam jogar mais lenha na fogueira.

O intrigante é que toda aquela estratégia de sucesso, que cativou tantos eleitores na pré-campanha e durante a eleição, parece ter sido deixada de lado assim que Bolsonaro assumiu a presidência. Era como se a equipe tivesse perdido o manual do sucesso após a vitória. Em vez de seguir a receita que havia dado certo, optaram por improvisar – e todos sabemos o que os improvisos na política podem causar.

Agora, voltando o olhar novamente para essa proposta de curso, esta soa como uma oportunidade para aglutinação de seguidores, apoiadores e entusiastas, em outras palavras, parece a formação de um movimento paralelo de apoio à manutenção dos ideais bolsonaristas.

O que estou querendo dizer é que estamos às vésperas das eleições municipais de 2024, certo? Então o clã Bolsonaro está, em outras palavras, abrindo um canal direto de formação e relacionamento com vereadores e prefeitos de todo o Brasil. Mais um motivo para o PL ficar de olho, não acha?

Então, o lançamento do curso aconteceu no último domingo (28), durante uma live que contou com uma audiência de mais de 1,4 milhão de espectadores no YouTube. Além de Carlos, estavam presentes na live de apresentação o próprio Bolsonaro, Flávio e Eduardo.

Essa live, portanto, simbolizou uma abordagem estratégica da família Bolsonaro para consolidar sua influência no cenário político brasileiro, ao mesmo tempo em que buscava capacitar novas lideranças dentro da ideologia conservadora, através da promoção do curso de formação.

Porém, é preciso lembrar que, em meio a esse verdadeiro “movimento paralelo” que foi o lançamento desse curso, muitas das vezes que a comunicação de Bolsonaro soou incorreta, desproporcional ou deslocada aconteceram devido à interferências externas, mais precisamente, devido às interferências dos filhos, mais estrondosamente à influência do, agora professor, Carlos Bolsonaro.

Mas, do outro lado da moeda e como objeto validador das estratégias do filho temos Jair Bolsonaro e sua estrondosa aceitação nas redes sociais. Sim, porque embora haja erros na comunicação, não se pode negar o fenômeno Bolsonaro. Mas, se Carluxo é o rei das trapalhadas, quem estaria por trás do sucesso do ex-presidente nas redes sociais? Ora, quem mais poderia ser senão o prórpio Bolsonaro?

Michelle mesmo é uma prova de que a não interferência dos filhos de Bolsonaro nas estratégias digitais já abre as portas para o sucesso. A ex-primeira-dama tem uma presença digital mais ostensiva do que a presença dos três filhos de Bolsonaro e prova que seu crescimento vai muito além do envolvimento com picuinhas familiares.

Como já dissemos de outras vezes, desde a derrota eleitoral, a comunicação entre Bolsonaro e seus seguidores estava praticamente nula. E, vamos ser honestos, o trabalho de marketing do Carluxo foi uma mistura de amadorismo com um toque de “o que estou fazendo mesmo?”.

Seu erro mais notável? A postagem do 10 de janeiro de 2023 na qual Carluxo, em um momento de genialidade, decidiu postar no perfil do pai um vídeo com informações falsas sobre as eleições. Isso é o que chamamos de estratégia de comunicação inovadora – se o objetivo fosse afundar a reputação do pai, claro!

Como se não bastasse, a publicação teve um timing perfeito, vindo logo após ataques extremistas de direita. A consequência? Uma implicação jurídica para o Bolsonaro, algo como um elefante em uma loja de porcelana.

E quanto à comunicação do Bolsonaro? Bom, essa sempre foi uma montanha-russa, mas nem sempre com a parte divertida. Em muitas ocasiões, faltou a ele e ao filho aquele jeitinho especial para lidar com a mídia e com o público. Muitas vezes, faltou também tranquilidade e empatia.

No fim das contas, o amadorismo do filho acabou por dilapidar o patrimônio digital do pai em diversas ocasiões, inclusive quando ele se manteve em silêncio durante a estadia nos Estados Unidos. Mas, no universo de quem vê na sucessão de polêmicas a melhor estratégia, quem se importa com um pequeno desastre de comunicação, não é mesmo?


O Portal WSCOM não se responsabiliza pelo conteúdo opinativo publicado pelos seus colunistas e blogueiros.
Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //