Política

Cada vez mais o mercado de mídia exige regulação diante da redução do emprego e a multiplicação de endereços na web


07/04/2021

O analista político Walter Santos

De fato, o mercado de comunicação na Paraíba há tempo não é mais o mesmo, sobretudo dos anos de 1994 para cá com a nova realidade provocada pelas redes sociais transformando cada pessoa num jornal pessoal, sem contar o mercado de mídia reduzindo drasticamente os postos de trabalho e fazendo multiplicar por mil os endereços de cada um com sua página e sua forma/necessidade de sobreviver.

Esta é a pura realidade produzindo efeitos de toda a ordem com profissionais e pessoas exorbitando para sobreviver, em alguns casos produzindo perseguições, chantagens e a exploração desmedida de fakenews sem nenhum controle nem arbítrio pela falta de regulação indispensável.

O PROCESSO HISTÓRICO DA MÍDIA

Quando a “febre” de endereços na web extrapolou o tamanho de gente se auto proclamando “profissional” ou YouTuber, a AMIDI – Associação de Mídias Digitais – através do multimídia Heron Cid até sentou com o conselheiro Nominando Diniz produzindo parâmetros para o setor mas, por vários fatores, o processo parou e nunca mais andou.

A AMIDI precisa enfrentar esse sério desafio e problema porque as áreas de comunicação, sobretudo do Poder Publico já não aguentam a pressão de milhares querendo se credenciar, ainda usando influências políticas nas várias escalas criando o semi caos nos setores.

Ora, todos precisam sobreviver, mas é fundamental que se tenha parâmetros, como CNPJ ou MEI, quantidade de pessoas envolvidas, tamanho da audiência comprovada (sem uso de robôs), histórico, profissionais com formação, ética, etc., porque sem isso as aferições são desiguais e injustas.

Não pode (em tese) uma pessoa só com endereço na web, mesmo com sua importância, merecer o mesmo tratamento de um site/blog/ empresa estabelecida com inúmeros profissionais até tendo formação acadêmica, etc., isto sem falar no aspecto da ética e da audiência.

Em síntese, é chegada a hora de se estabelecer parâmetros para regular o mercado porque sem isso será sempre um cenário típico de esculhambação.

Leia outros artigos

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.