Política

Bolsonaro mobiliza extrema direita em CG, reúne poucos líderes de expressão e pega carona em obra de Lula/Dilma

20/02/2021


Presidente Jair Bolsonaro ladeado pelos prefeitos Bruno Cunha Lima (CG) e Miguel Coelho (Petrolina - PE), e Romero Rodrigues (Instagram)

Ainda repercute a sexta-feira (19) de agenda política nacional bancada pelo presidente Jair Bolsonaro, em Campina Grande, para reanimar sua base extremista, e depois em Sertânia/PE com foco deliberado de querer ganhar simpatia com a Transposição do Rio São Francisco reabrindo comporta para a água seguir o fluxo normal de sempre até chegar a Boqueirão e adjacências.

Está claro: em plena pré-campanha à reeleição, desta feita pelo saldo que se viu, ele não conseguiu reunir o time chamado de primeiro escalão político, mesmo registrando a presença do senador Fernando Bezerra Coelho na comitiva.

A euforia mesmo ficou com o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, e o pré-candidato a governador da Paraíba em 2022, Romero Rodrigues, em fotos sem máscara, portanto, o time de segundo escalão se esbaldou.

Bolsonaro foi fazer festa diante de obra marcada pelos governos Lula e Dilma mesmo convivendo com um fato extremamente negativo, ou seja, voltou a bombear água do Rio São Francisco depois de um ano sem um pingo d’água na Paraíba.

Nos dois estados em que compareceu, nenhum governador ou líderes de maior expressão se fez presente, mas serviu ao menos para se divertir mesmo diante de uma grave situação sanitária com o Governo Federal patinando sem ações consistentes ampliando as condições de colapso no Brasil.

Eis o resumo da agenda divertida do presidente negacionista e louco por vender e distribuir armas ao invés de Vacinas.


LEIA MAIS: 

[VÍDEO] Aliados ‘colam’ em Bolsonaro durante passagem por Campina, Boqueirão e Sertânia, mas presidente evita falar sobre política

Leia outros artigos

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.