Geral

AGENDA CULTURAL POSITIVA PARA 2020

17/01/2020


A agenda cultural do ano inicia com proposta de renovação de diversos projetos que aconteceram com sucesso no ano que se passou, a exemplo do Som nas Pedras, um circuito realizado em dez cidades do interior do Estado, inovando no sentido de resgatar artistas regionais mesclando a programação com valores da Capital. A promessa, por parte do Governo, de lançar doze Editais de cinema, média de um a cada mês, para mostras e festivais; o Salão do Artesanato Paraibano (em curso, já instalado e funcionando na praia do Cabo Branco, até o início de fevereiro); o Fest Aruanda, em novas versões, entre outros.

Na literatura a Confraria Sol das Letras dará continuidade ao Por do Sol Literário, que acontece na Academia Paraibana de Letras; o DER, segundo seu diretor Carlos Pereira de Carvalho, lançará um livro sobre os 70 anos daquela instituição; e uma grande novidade, a instalação na Praça da Independência, do Museu da Cidade, na casa onde morou o ex-presidente João Pessoa; além da reforma e abertura das portas do Palácio da Redenção, para visitação pública e de turistas.

Como não bastasse, repetindo a receita do que aconteceu com Jackson do Pandeiro, o Governo propõe decretar 2020, o Ano Cultural Mestre Sivuca, mais que bem lembrado e justo, para resgatar a valorosa obra e imagem daquele artista internacional nascido em Itabaiana. A batalha da viúva de Sivuca, a cantora e compositora Glorinha Gadelha, é agora conseguir instalar um grande Memorial com acervo do artista, com opções já encaminhadas tanto para a UFPB, como também a cidade natal do Mestre.

Ainda, no campo das homenagens, outro grande nome, o economista Celso Furtado, já vem sendo lembrado e terá sem dúvida maior destaque pelo conjunto de seus estudos e obra. Teremos semanas de eventos em torno do legado de Celso Furtado, acredita-se, com o apoio, inclusive, da SUDENE, órgão o qual foi seu fundador.

Da Fundação Casa de José Américo sopram bons ventos sinalizando o projeto de produção e pesquisa intitulado Esquina das Américas, que promete entrevistas com grandes nomes para registrar suas obras enriquecendo ainda mais todo o acervo da instituição e da Paraíba. Ponto para o jornalista amigo Fernando Moura, que está na presidência da FCJA.

Da Secretaria de Estado da Cultura, temos a notícia de renovação dos festivais que reúnem etnias das comunidades indígenas, ciganas e quilombolas, espalhadas pelo território cultural do Estado. Ponto para o Secretário Damião Ramos Cavalcanti e sua Equipe que, sob orientação do próprio governador, aproximam a gestão desse povo tão rico e, lamentavelmente, ainda tão esquecido pela maioria.

Já em fevereiro, teremos a Mostra dos Talentos das Artes Plásticas, no Espaço Cultural, apresentando um conjunto inédito de quadros dos nossos principais nomes a começar por Flávio Tavares. Segundo o Secretário de Estado da Cultura, Damião Ramos, o objetivo principal é despertar aos paraibanos e visitantes, a valorização da arte pictórica da Paraíba.

Muita coisa ainda está sendo planejada nas diversas áreas da arte e da cultura. Estes apontamentos são apenas alguns que colhemos, para dizer que este será um ano cultural (apesar de tudo…), com indicação e agenda positiva. É o que, pelo menos, esperamos que aconteça.

Leia outros artigos

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.