Política

Carlos e ex-mulher de Bolsonaro receberam R$ 477 mil em depósitos em dinheiro sem origem identificada

Dados constam do inquérito que apura os crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro


11/05/2023

Brasil 247

Um laudo produzido pelo Laboratório de Tecnologia de Combate à Lavagem de Dinheiro e à Corrupção do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) apontou que o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho “02” de Jair Bolsonaro (PL), e Ana Cristina Siqueira Valle, segunda esposa do ex-mandatário, receberam R$ 476,8 mil em depósitos em dinheiro sem origem identificada desde 2005.

De acordo com a coluna da jornalista Juliana Dal Piva, no UOL, o laudo aponta que Cristina “recebeu um total de R$ 385,8 mil em 177 depósitos entre 2005 e 2021. Ela foi chefe de gabinete de Carlos entre 2001 e 2008. Também foram identificados R$ 34,2 mil em três depósitos diferentes de Jair Bolsonaro para ela entre 2012 e 2014. Já Carlos Bolsonaro obteve R$ 91.088 em sete depósitos entre 2008 e 2015. Os dados apresentados no laudo são oriundos das quebras de sigilo bancário obtidas com autorização judicial em maio de 2021”.

O laudo que apontou os depósitos sem identificação nas contas dos familiares do ex-mandatário foi solicitado pela 3ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Especializada, que apura a suspeita dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete do vereador.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //