Política

Carlos Dunga não descarta figurar no bloco de oposição na Assembleia Legislativa

"Esquecido"


22/02/2013

Ele brigou com o partido, foi uma das poucas lideranças do PTB a apoiar a eleição de Ricardo Coutinho (PSB) para governador, em 2010, no entanto, encerrado o pleito e com uma derrota para deputado estadual ‘nas costas’, caiu em esquecimento. Este é o suplente de senador Carlos Dunga (PTB), que após dois anos vê novamente a chance de voltar a figurar na linha de frente da política paraibana.

Carlos Dunga aguarda apenas a autorização do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) para assumir uma vaga na Assembleia Legislativa (ALPB). Em contato com o WSCOM Online, ele lamentou os dois anos em que passou sem um mandato efetivo e afastado dos meios políticos.

“Vou lhe dizer uma coisa, um político sem um mandato é um comerciante sem alvará, não vale nada! Eu perdi dois anos de um mandato legítimo com a chance de realizar um trabalho que eu sei fazer muito bem, afinal, já fui deputado estadual, deputado federal. Foi doloroso, mas, graças a Deus vou assumir um mandato que é meu por direito”, diz Dunga.

Situação

Apesar de chateado e magoado com alguns ‘figurões’ da política, Carlos Dunga demonstra tranquilidade, prega um discurso humildade, não reclama de ninguém e diz que vai procurar o governador Ricardo Coutinho (PSB) assim que assumir na ALPB. “Com o mandato assegurado, espero ser ouvido. É verdade que há dois anos não mantemos contato, mas todo mundo sabe que eu pertenço ao grupo que ajudou a eleger o governador”, disse.

Oposição

Dunga também não descarta a possibilidade de compor o bloco de oposição ao governo na ALPB. “Veja bem, vou ouvir a minha base política, ouvir o governador, mas, se não houver interesse em minha permanência na situação, não resta outro caminho senão buscar o meu espaço em outro bloco”, disse.

Entenda

Com a validação dos votos de Bado, que disputou as eleições pela coligação PSL/PR, o coeficiente eleitoral para deputado estadual será mudado. Assim, a coligação do PTdoB, que conseguiu eleger apenas o deputado Genival Mathias, perde a vaga, que vai para Carlos Dunga, da coligação PTB/PP, que já tem a deputada Daniela Ribeiro (PP) eleita.

Em 2010, Bado disputou o cargo de deputado estadual, mas como teve a candidatura impugnada pelo TRE-PB, devido a então nova Lei da “Ficha Limpa”, seus votos não foram computados. Apesar de ter os votos computados pela Justiça Eleitoral, Bado não irá assumir o mandato na ALPB, ficará na condição de primeiro suplente da coligação PSL/PR.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //