Eventos

Caminhos do Frio sedia Festival de Artes de Areia com 138 atrações

138 atrações


21/07/2013



 A segunda parada da Rota Cultural Caminhos do Frio, na microrregião do Brejo paraibano, é na cidade de Areia, de 29 de julho a 4 de agosto, com a realização do 14º Festival de Artes de Areia. A programação foi anunciada nesta sexta(19), em coletiva de imprensa com o Secretário de Cultura da Paraíba e o Prefeito de Areia, Paulo Gomes.

Sob o tema "Paraíba Feminina de Cultura", o evento abordará o universo feminino a partir de diversos olhares, colocando em destaque o protagonismo das mulheres na política, nas artes e na sociedade em geral. A escolha do tema tem o objetivo de pôr em destaque o papel das mulheres, artistas ou não, para o desenvolvimento do pensamento e das expressões contemporâneas, o aprofundamento da política e a conquista de espaços.

De caráter multicultural, o Caminhos do Frio juntamente com o festival de artes ofertarão 138 atividades, distribuídas em oito linguagens artísticas, contemplando artes visuais, audiovisual, circo, cultura popular, dança, literatura, música e teatro. Irão compor a programação, shows, espetáculos, mostras, cortejos, vernissages, mesas redondas e oficinas. Além da programação artística, o evento ainda contará com atividades voltadas a debater outras áreas da cultura, como Arte Contemporânea, Economia Criativa e Cidadania Feminina.

Música
Este ano, o Caminhos do Frio vai oferecer ao público, duas grandes artistas de reconhecimento nacional e internacional, Zélia Duncan e Zizi Possi. Além destas, outros grupos e artistas regionais se apresentarão, como Sandra Belê (Zabelê), Lucy Alves (João Pessoa), Eleonora Falcone (João Pessoa), Sex On The Beach (Campina Grande), A Troça Harmônica (João Pessoa), Camerata Philipéia (João Pessoa) e Dusouto (RN).

Dança
A programação de dança será um verdadeiro encontro dos vários pensares da linguagem do corpo, inclusive no tocante às políticas culturais. Um espaço de destaque é a mesa-redonda “Políticas culturais para dança: o papel dos fóruns, redes associativas e associações de classe”, com personalidades influentes do cenário regional e nacional, como Liana Gesteira (PE). Ainda serão ministradas duas oficinas, uma com Valéria Vicente, pesquisadora de dança popular e contemporânea, e outra com Isabel Marques , sobre as interfaces da dança e a educação. A mostra de espetáculos traz ainda a performance Playlist, do coletivo Movasse (MG), entre outros grupos nacionais e regionais.

Audiovisual
A programação de cinema conta com a exibição dos longas-metragens: Elena (2012), dirigido por Petra Costa, (SP) e Eles Voltam (2013), de Marcelo Lordello (PE). Também será realizada a Mostra de Cinema Paraibano, com 8 curtas selecionados através de edital público, e uma Mostra de Cinema Infantil, com a exibição de 11 curtas-metragens nacionais. A área terá uma Oficina de Capacitação Audiovisual para Jovens, com módulos sobre: Produção de Audiovisual, Fotografia para Cinema, Atuação, Roteiro e Direção e Realização de Curtas-Metragens.

Cultura Popular

A Mostra de Cultura Popular será o palco da troca de experiências dos grupos que praticam as tradições de alguma etnia. Na Paraíba, são mais divulgados os cocos de roda, pífanos e reisados, daí a preocupação de oportunizar ao grande público um evento que possa divulgar também as demais manifestações populares da dança, música, teatro e literatura de cordel, mostrando seus valores, sentimentos e expressões. A programação conta com um cortejo, na abertura do Festival, e os grupos Samba de Lata de Tijuaçu (BA), Coco de Roda – Grupo de Tradições Folclóricas Moenda (Areia – PB), Capoeira Angola Palmares (Areia – PB), Sanfona Fest (Areia – PB), Grupo do CRAS (Borborema – PB), Grupo de Xaxado FUNAD (João Pessoa – PB), além de oficinas de artesanato, culinária e cordel.

Teatro
A programação de Teatro contará com nomes de impacto nacional e internacional, como a atriz Denise Stoklos, que apresentará o monólogo intitulado “Preferiria Não?”, a Cia XIX de Teatro, que apresentará o espetáculo “Hysteria”, e o Grupo de Teatro da Poli (SP), com o espetáculo “Pode Ser que Seja Só o Leiteiro Lá Fora”, entre outras atrações regionais. Serão realizadas três oficinas: Teatro Experimental, Teatro Escambo e a oficina Hysteria, com o Grupo XIX de teatro, voltadas a artistas iniciantes e profissionais.

Circo
A programação circense contará com a presença da atriz e palhaça Andrea Macera (SP), intergarnte do Grupo Barracão Teatro (SP) com a apresentação “A Julieta e o Romeu”, Cia Animè (PE) com “As Levianas”, além do Grupo Bufões de Olavo (João Pessoa – PB), Caravana Tapioca (PE), Cia. Circo Rebote (DF) e o Grupo de Teatro Bastet (GO). A proposta conta ainda com as oficinas: Escola de Palhaças, com Andréa Macera, e a oficina de Palhaços para Iniciantes da Cia Animè.

Artes Visuais
A programação tem como exposição principal a arte da ceramista Maria dos Mares, maranhense radicada na Paraíba. Além de debate com os professores José Rufino e Madalena Zaccara sobre a obra de Pedro Américo. A proposta conta ainda com três oficinas: uma ministrada pelo coletivo paulista Aluga-se, cujo resultado irá compor a exposição do festival; uma Oficina de Grafite, com a grafiteira carioca Panmela Castro; e o projeto Pavilhão Lambe-lambe, do fotógrafo Ricardo Peixoto, que levará uma oficina de fabricação de câmeras fotográficas para crianças e palestras sobre a história da fotografia. Ainda haverão três exposições fotográficas, três instalações multimídia/arte digital e um mural coletivo com o tema: Paraíba Feminina.

Literatura
A programação da área de Literatura com saraus, recitais, mesas-redondas e lançamentos de livros. Ainda contará com oficinas literárias de contação de histórias, fanzine e poesia, com destaque para a oficina Poesia Encenada, com a atriz Elisa Lucinda (ES). Os lançamentos de publicações terão o apoio da EduEPB (Editora Universitária da UEPB) e do Jornal A União, que lançará o livro Uma Viagem no Tempo, comemorativo dos 120 anos do periódico. Além desses, outros escritores locais lançarão suas publicações.

Pólos do festival

O Festival contará com 15 pólos, que abrigarão toda a programação, interagindo com os prédios e espaços históricos da cidade de Areia, ocupando e ressignificando os lugares que, por vezes, o cotidiano torna comum. Ao visitante, um universo a descobrir. Ao morador de Areia e da região, um universo reinventado. Cada pólo ganhou um nome que interage com o espaço, programação ou o tema do evento.

O Pólo Marinesas será o palco principal, reunindo artistas de renome nacional. O Pólo "Armaria Mainha" será no Circo especialmente montado para o Festival, abrigando as atrações de circo, dança, literatura, teatro e música. No Pólo Fé Menina, na Igreja do Rosário, se apresentarão grupos de música instrumental acústica.

O Pólo Açucena, nas dependências do Colégio Santa Rita, será espaço de discussão sobre a arte contemporânea e também para apresentações teatrais. O Colégio José Américo se tornará o Pólo Vagaluminosas, onde ocorrerão diversas oficinas, mostras audiovisuais, lançamentos de livros, exposições de artes plásticas e a construção de um mural coletivo de grafite. No Pólo Artérias das Artes, no Casarão José Rufino, exposições visuais e ações de divulgação do I Censo Cultural da Paraíba. No histórico Coreto, localizado na Praça Pedro Américo, o Pólo Brincantes Enluaradas abrigará mais exposições visuais e espetáculos de dança e música.

No palco mais antigo do estado, o Theatro Minerva, primeiro da Paraíba, serão realizadas atividades de audiovisual, dança, literatura e teatro, compondo o Pólo Senhora Cena. A Câmara Municipal de Areia será o Pólo Escrivaninha Secreta, a ser ocupada com literatura, discussões sobre Cultura Popular e programações destinadas à Economia Criativa e Cidadania da Mulher. Na Praça 3 de Maio, marco histórico da cidade, no Pólo Chão de Mestras se apresentarão diversos grupos de cultura popular, reverenciando as tradições e as brincadeiras do povo. Na EMATER, o Pólo Fuxicarte abrigará o Salão de Artesanato da Paraíba, reunindo artesanatos de diversas técnicas e origens. O Pólo Sala de Griação será no Mercado Central, ambiente gastronômico por essência, e que abrigará a oficina de gastronomia regional.

Outros três pólos serão destinados a atividades de formação, como oficinas. O Pólo Chã da Pia (Comunidade Chã da Pia), o Pólo Chã de Jardim (Comunidade Chã de Jardim), e o Pólo Gravideias, localizado Escola Prof. João Coutinho, serão destinados a realização de diversas oficinas, ligadas as linguagens artísticas ou a outras áreas da Culura. O Pólo Sonoras Erês, no Centro Social Urbano (CSU), receberá a atividade musicalização infantil, programação voltada ao público jovem. Por fim, no Pólo A Véia Debaixo da Cama estará sediada a Secretaria do Festival, utilizando o prédio da Maçonaria, e o Pólo A Casa da Mãe Joana, que servirá como hospedagem alternativa a 60 visitantes do festival.

Economia Criativa: Os dois eventos juntos contam com vasta programação de oficinas, workshops e mesas-redondas, com atividades ligadas a todas as linguagens. Ao todo, serão oferecidas 26 oficinas, com oficineiros de todo o Brasil. As oficinas são gratuitas, e terão suas inscrições iniciadas na próxima segunda-feira (22), no site oficial do evento.

Em parceria com a UFPB, através do projeto "Paraíba Criativa – Ações para o desenvolvimento e inovação das artes, fazeres e saberes da Paraíba no universo da Economia da Cultura", o Festival abrigará o Encontro Regional de Economia Criativa de Areia, com debates voltados à cultura como elemento de desenvolvimento regional, refletindo sobre a produção e difusão da cultura local na potencialização dos territórios. O Encontro contará com mesas, grupos de trabalho e uma plenária.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //