menu

Futebol

30/01/2013


Botafogo passa Audax e encosta no Vasco

Guanabara

 Pressionado por dois empates consecutivos, o Botafogo assumiu uma postura diferente e foi muito mais eficiente na tarde desta quarta-feira, no triunfo por 4 a 0 sobre o Audax (confira os gols), em Moça Bonita, pela quarta rodada da Taça Guanabara. O embalo teve o brilho de Lodeiro, que fez um golaço e ainda participou de outros dois. Fellype Gabriel, Bruno Mendes e Bolívar completaram a melhor apresentação do time no ano.

A superioridade foi reconhecida pela própria torcida, que deu trégua na briga com o técnico Oswaldo de Oliveira e cantou músicas especiais para Vitinho, definindo-o como melhor do que o Neymar, e Bolívar, com a letra que foi de Dodô: "Uh, tá maneiro, o Bolívar é artilheiro".

O Botafogo pulou para a vice-liderança do Grupo A, com oito pontos, mas pode ser ultrapassado pelo Friburguense, que tem seis e enfrenta o Fluminense às 22h. O líder é o Vasco, que tem nove e pega o Flamengo nesta quinta. O Madureira, que bateu o Macaé por 2 a 1, também soma oito pontos, mas leva a pior no critério de saldo de gols. O Audax tem sete pontos no Grupo B, assim como Fluminense e Flamengo, mas ocupa o terceiro lugar.

O meia Andrezinho afirmou que o modo como a vitória saiu foi o mais importante.

– Acho que precisamos de uma vitória dessas, convencer da forma que convencemos. O espírito é esse, marcação forte, não diminuir o ritmo. Agora precisamos da vitória em Macaé para selar uma classificação que vimos lutando muito – resumiu.

A partida contra o Macaé será às 19h30m de domingo, no Moacyrzão. O Audax enfrenta o Madureira um dia antes, às 17h, em Conselheiro Galvão.

Muitos erros e embalo com Lodeiro

O Botafogo, que na semana passada empatou com o Bangu, voltou a Moça Bonita e encontrou um campo ainda mais castigado e queimado. Consequência disso ou não, o duelo começou truncado, com erros e jogadas ríspidas. A marcação do time de Oswaldo de Oliveira era falha, e o Audax assustava, como em chute de longe de Andrade, que Jefferson espalmou, e em erro de saída do goleiro, mais tarde, salvo por Bolívar.

Aos poucos, porém, pelos pés de Lodeiro as chances começaram a pintar claramente para o Botafogo. Aos 21 minutos, ele abriu o placar com uma bomba de fora da área que achou o ângulo direito. Com mais qualidade, o Glorioso se impôs e aproveitou para ampliar, aos 34: Lodeiro roubou a bola e tocou para Fellype Gabriel concluir em batida cruzada. A partir daí, o mandante já tropeçava nas falhas do gramado e protagonizava lances bizarros.

Banho de bola alvinegro

O técnico Maurício Barbieri tentou mudar o panorama do jogo com a entrada do atacante Ivan Junior na vaga do meia Hyuri, um dos mais participativos, sempre pelo lado direito. E, por necessidade, trocou o goleiro Douglas Leite, lesionado, por Rafael. Mas logo recebeu um balde de água fria com o terceiro gol. Lodeiro deu passe para Vitinho, que arriscou já de dentro da área. Após rebatida da defesa, Bruno Mendes desencantou na temporada.

Sem reação, o time de São João de Meriti se desorganizou de vez e abriu caminho para a goleada. Bolívar anotou o seu, ratificando a fama de zagueiro-artilheiro: são três gols em quatro rodadas. A trama ensaiada foi semelhante à da estreia, contra o Duque – bola levantada na área, desvio na altura da primeira trave e conclusão. O placar poderia ter sido maior: o Botafogo acertou a trave em dois lances no mesmo ataque, com Vitinho, em jogada individual, e Andrezinho, da meia-lua. Ainda teve um gol anulado – Vitinho estava impedido – e a ilustre presença de Seedorf, que entrou aos 26.

Num período em que o Audax esteve perto de reduzir o placar e desperdiçou pelo menos duas oportunidades, devido ao relaxamento do visitante, o holandês assumiu a batuta e distribuiu passes açucarados em sua primeira tarde no acanhado estádio da Zona Oeste carioca. Mas Jadson, na principal chance, enrolou-se todo. E o próprio camisa 10, aos 38, dominou na área, enganou o zagueiro, mas errou o alvo por pouco.