Política

Bolsonaro volta a ameaçar Alexandre de Moraes: “ou esse ministro se enquadra ou ele pede pra sair”

“Alexandre de Moares não vai mais açoitar nossa democracia. A paciência do nosso povo já esgotou”, disse Bolsonaro em um novo ataque ao ministro do STF, durante manifestação golpista na Paulista. Mandatário voltou a fazer também a defesa do voto impresso


07/09/2021

Bolsonaro em discurso na Avenida Paulista (Reprodução)

Portal WSCOM / G1



O presidente Jair Bolsonaro voltou a fazer ameaças no segundo discurso deste 7 de Setembro, desta vez na Avenida Paulista em São Paulo. Desta vez, em sua fala, ele fez referências diretas ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). “Temos ministro dentro do Supremo que ousa continuar fazendo aquilo que nos não admitimos”.

Bolsonaro prosseguiu na crítica ao Supremo. “Respeitamos todas as instituições. Quando alguém do Poder Executivo começa a falhar, eu converso com ele. Se não se enquadra, eu demito. Quando um deputado ou senador começa a fazer algo que está fora das quatro linhas, ele é submetido submetido ao conselho de ética e pode perder seu mandato. Mas no STF isso não acontece.”

“[Quero] dizer a vocês que qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes esse presidente não mais cumprirá”, disse Bolsonaro.

“Ou esse ministro [Alexandre de Moraes] se enquadra ou ele pede para sair. Não se pode admitir que uma pessoa apenas, um homem apenas turve a nossa liberdade. Dizer a esse ministro que ele tem tempo ainda para se redimir, tem tempo ainda de arquivar seus inquéritos. Sai, Alexandre de Moraes. Deixa de ser canalha. Deixa de oprimir o povo brasileiro, deixe de censurar […] seu […] povo. Mais do que isso […]. Nós devemos, sim, porque eu falo em nome de vocês determinar que todos os presos políticos sejam postos em liberdade”, completou.

A transmissão foi feita pela internet e falhou em alguns pontos, indicados com reticências na transcrição acima.

Alexandre de Moraes é responsável pelo inquérito que investiga o financiamento e organização de atos contra as instituições e a democracia e pelo qual já determinou prisões de aliados do presidente e de militantes bolsonaristas. Bolsonaro é alvo de cinco inquéritos no Supremo e no Tribunal Superior Eleitoral. Moraes vai ser presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no próximo ano.

“A paciência do nosso povo já se esgotou Nós acreditamos e queremos a democracia. A alma da democracia é o voto. Não podemos admitir um sistema eleitoral que não fornece qualquer segurança. Nós queremos eleições limpas, democráticas, com voto auditável e contagem pública dos votos. Não podemos ter eleições onde pairem dúvidas sobre os eleitores. Não posso participar de uma farsa como essa patrocinada pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral. Não vamos mais admitir que pessoas como Alexandre de Moraes continue a açoitar a nossa democracia e desrespeitar a nossa Constituição. Ele teve todas as oportunidades de agir com respeito a todos nós, mas não agiu dessa maneira como continua a não agir”, disse Bolsonaro.

OUTROS ATAQUES

Ele também voltou a fazer a defesa do voto impresso, proposta que foi derrotada recentemente na Câmara.

“Não é o TSE que vai dizer que o sistema atual é seguro”, disse ele em mais um ataque contra o presidente da Corte, Luís Roberto Barroso.

O presidente voltou a dizer que não vai ser preso. “Preso, morto ou com vitória. Dizer aos canalhas, que eu nunca serei preso. A minha vida pertence…. Mas a vitória é de todos nós. Muito obrigado a todos. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, encerrou o discurso.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.