Policial

Bolsonaro fica em silêncio durante depoimento de apenas 15 minutos à PF

A investigação da PF alega que existem "dados que comprovam" que Bolsonaro "analisou e alterou uma minuta de decreto que, tudo indica, embasaria a consumação do golpe de Estado em andamento".


22/02/2024

(Foto: Reprodução Youtube)

Portal WSCOM/ Brasil 247



Jair Bolsonaro (PL) prestou depoimento à Polícia Federal (PF) no âmbito de uma investigação que apura uma suposta tentativa de golpe de Estado no início da tarde desta quinta-feira (22). Segundo o jornal O Globo, o depoimento durou cerca de 15 minutos e foi marcado pelo silêncio do ex-mandatário.

“O [ex] presidente já saiu, fez o uso do silêncio conforme a defesa antecipou”, disse o advogado Paulo Cunha, de acordo com a reportagem. Ele alega que a defesa não teve acesso a todos os elementos da investigação, incluindo a delação de Mauro Cid.

Cunha enfatizou que Bolsonaro não cometeu nenhum delito e afirmou que o ex-mandatário “não teme nada porque não fez nada”. Ele disse, ainda, que Bolsonaro “nunca foi simpático a qualquer tipo de movimento golpista”.

A investigação da PF alega que existem “dados que comprovam” que Bolsonaro “analisou e alterou uma minuta de decreto que, tudo indica, embasaria a consumação do golpe de Estado em andamento”. No entanto, a defesa do ex-presidente negou veementemente qualquer participação de Bolsonaro na elaboração de um decreto ilegal.

Além de Bolsonaro, também estão na sede da PF os ex-ministros Braga Netto (Defesa), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e o presidente do PL, Valdemar Costa Neto. Ao todo, 23 pessoas serão ouvidas de forma simultânea. Nesta linha, quatorze depoimentos serão realizados em Brasília, quatro no Rio de Janeiro, dois em São Paulo, um no Paraná, um em Minas Gerais, um no Mato Grosso do Sul e outro no Espírito Santo.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //