menu

Política

21/11/2019


Bolsonaro comandou invasão da embaixada, denuncia chanceler da Venezuela

Reunião entre o presidente Bolsonaro, o chanceler Ernesto Araújo (à esquerda) e os representantes de Guaidó, Maria Teresa Belandria e Tomás Silva (à direita) Imagem: Reprodução/Instagram

Brasil 247

invasão da embaixada da Venezuela em Brasília na semana passada foi executada sob comando de Jair Bolsonaro, segundo o chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza, um dos principais homens do governo de Nicolas Maduro e ex-vice-presidente da Venezuela. A denúncia foi feita aos jornalistas Jamil Chade e Constança Rezende, do portal UOL.

“Entendo que houve uma instrução direta do presidente do Brasil”, disse. “Ou seja, há uma linha de comando entre o presidente do Brasil e as pessoas que estavam nessa embaixada”, completou.

Sobre o fato de Bolsonaro ter deletado uma mensagem publicada por ele nas redes sociais, em que condenava a invasão, e depois publicado outra versão, o chefe da diplomacia venezuelana comentou: “retificaram, suavizaram e condenaram os elementos estranhos”.

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, chegou a elogiar a invasão. “Nunca entendia essa situação. Se o Brasil reconhece Guaidó como presidente da Venezuela por que a embaixadora Maria Teresa Belandria, indicada por ele, não estava fisicamente na embaixada? Ao que parece agora está sendo feito o certo, o justo”, postou.

Depois de invadir a embaixada por quase toda o dia, tirando os funcionários que trabalham no local, os apoiadores de Juan Guaidó deixaram o local pelo fundo (assista).