Futebol

Bebeto promete ‘reformulação total’

Seleção


25/01/2013



 Novo coordenador das categorias de base da seleção brasileira, Bebeto promete uma reformulação geral na atual estrutura. Presente na eliminação da sub-20 no Sul-Americano, na Argentina, o ex-jogador disse que encontrou um grupo sem confiança e que vai tentar resgatar o comprometimento dos atletas. Além disso, revelou que o futuro técnico da equipe será profissional e, com isso, descartou a continuidade do trabalho de Émerson Ávila.

O ex-jogador acompanha as categorias de base da Seleção faz muito tempo. Seu filho Mattheus, que esteve no grupo eliminado da sub-20, é convocado para defender o Brasil desde os 13 anos.

Bebeto diz que já vem conversando com o presidente da CBF, José Maria Marin, faz três meses e que, mesmo sem ter sido anunciado oficialmente, o trabalho já começou. Na semana passada, esteve com o técnico Luiz Felipe Scolari e falou sobre o novo cargo. Ele também afirmou que a nova função não vai atrapalhar sua vida como deputado estadual no Rio e membro do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014 (COL).

– O trabalho já começou. Haverá uma reformulação total. O treinador será profissional, mas ainda não decidimos o nome. Depois de quarta ou quinta, começaremos a traçar os planos.
Convite

– Estou preparado e super motivado para essa função. Já vinha conversando com o presidente (José Maria Marin) faz uns três meses. Futebol é minha vida.

Comprometimento

– Isso (comprometimento) vai ser uma das coisas mais importantes na minha gestão. O jogador quando vai para a seleção precisa de comprometimento. Se não tiver, que fique em casa ou em seu clube. Vamos resgatar isso, o orgulho de vestir a camisa do Brasil. Achei nossa seleção mal, horrorosa. Os meninos estavam sem confiança.

Cheguei para o treinador e perguntei se estava tudo bem. Demos uma palestra para eles, o presidente também falou. Você precisa ter um conjunto. O futebol é coletivo. Não adianta pensar apenas em si, mas sim nos companheiros.

Integração com Felipão

– Estivemos juntos na semana passada e estaremos sempre nessa integração. A sub-20 é um passo para o profissional. Estarei sempre em contato com o Felipão.

– Essa nova função não interfere em nada. Vou continuar nas outras atividades. Por exemplo, o Roberto Dinamite é presidente do Vasco e deputado ao mesmo tempo. Podemos muito bem exercer as funções.
Situação de Mattheus como filho do coordenador

– Será um jogador como outro qualquer. Não tem privilégio. O Mattheus estava na Seleção antes de mim. Coloquei uma empresa (MFD) para cuidar da carreira dele. Se tiver bem, vai jogar. Desde os 13 anos é convocado para as seleções de base.

Maurilio de Almeida

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.