menu

Brasil & Mundo

11/03/2013


Homem confessa morte de menina por TV

Crime

 A polícia informou nesta segunda-feira (11) que o assassino de Maria Vitória Oliveira de Souza, de 11 anos, matou a menina por causa de uma televisão. Segundo o titular da DH (Divisão de Homicídios), Rivaldo Barbosa, o criminoso confessou ao psicólogo da unidade que matou a criança asfixiada porque a irmã dela, que era gêmea de Maria Vitória, cobrou a TV que o avô havia dado para ele consertar. O aparelho voltou a dar problemas e a irmã gêmea da vítima, sempre que o encontrava, reclamava do aparelho.

— A irmã gêmea de Maria Vitória foi cobrar a televisão dele e ele ficou muito irritado. O psicólogo que trabalha na DH disse que ele é frio, calculista, uma pessoa má.

O assassino foi preso no domingo (10), antes mesmo do enterro da vítima. Segundo o delegado, o rapaz estava escondido na casa de um suposto parente, em Magé, na Baixada Fluminense. Ele não tinha passagens pela polícia.

A menina estava desaparecida desde terça-feira (5) e foi encontrada morta no sábado (9), perto de um barranco, em Santa Cruz, na zona oeste do Rio. A polícia não descarta a possibilidade de a criança ter sido sexualmente violentada. Barbosa disse que já pediu uma análise aos órgãos periciais para verificar se houve abuso.

— O problema é que, após matá-la, ele jogou a Maria Vitória em um barranco. Como choveu muito no dia seguinte, alagou o local. Quando o corpo foi encontrado, já estava em decomposição.

A polícia chegou até o assassino por meio de denúncias da população. Segundo testemunhas, a menina foi vista pela última vez com o criminoso. A polícia está indignada com a motivação do crime.

— Foi um crime sem precedentes. Um animal irracional não faria isso. É fruto da banalidade da violência. É uma desproporção muito grande entre o que ele fez e o que efetivamente teria motivado o crime. Este episódio gerou uma indignação muito grande na DH.

O assassino de Maria Vitória foi autuado por homicídio triplamente qualificado: motivo fútil, traição (porque ele levou a vítima para um local deserto) e asfixia.