Educação

Alfabetizadores da rede pública terão formação para melhor preparar aulas de 1º

Estudo

15/02/2013


 A partir de março professores alfabetizadores da rede pública de ensino receberão a formação de orientadores de estudos para melhor prepararem as aulas das crianças de 1º a 3º anos do ensino fundamental. A ação é parte do Pnaic (Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa).

Os orientadores já receberam ou ainda receberão até o início de março aulas de capacitação ministradas em 40 universidades públicas brasileiras.

Para ajudar na formação e nas aulas, um material especial foi desenvolvido pela UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) com colaboração de 11 instituições de ensino superior.

A coordenadora adjunta do programa na UFPE, Ana Cláudia Pessoa, explica que o material considera que a alfabetização será completa em três anos.

— Não é só uma alfabetização que a criança aprenda a ler palavras. Tem que produzir textos e ler com autonomia.

Segundo ela, o material não propõe um método a ser seguido em sala de aula, mas uma reflexão a ser feita sobre a função social de ler e escrever.

Ao todo são oito cadernos para formação dos professores e mais oito unidades voltadas para cada um dos três anos do ciclo de alfabetização. A formação também inclui conteúdos voltados para a educação multisseriada, muito presente nas escolas rurais, onde na mesma sala existem alunos de diferentes níveis.

O Pacto traz algumas novidades como os jogos inclusivos, que ainda estão sendo desenvolvidos pela UFPE, mas Ana Cláudia adianta que facilitarão o acesso e poderão ser usados por crianças com ou sem deficiência.

Os jogos facilitam também na capacitação dos professores. A coordenadora-geral do Pnaic na UnB (Universidade de Brasília), Leila Chalub, conta que durante a capacitação do Pró-Letramento, muitos professores começaram a entender a matemática por meio de jogos.

— Quando os professores viam ali as frações concretas na frente deles entendiam muito melhor.

Para acompanhar o desenvolvimento das crianças, o curso de formação continuada dos professores alfabetizadores prevê, na unidade 1, o planejamento de estratégias de avaliação permanente do desenvolvimento dos estudantes a ser definido pelos próprios professores.

Com base no que for observado, os professores poderão, com a ajuda dos orientadores, planejar tarefas para favorecer a aprendizagem. No início e no final do 2º ano, será aplicada a Provinha Brasil, para verificar os domínios de escrita e leitura. A provinha será aplicada também pelos professores.

Ao final do 3º ano haverá uma avaliação externa para checar todo o processo de aprendizagem do aluno. Essa avaliação será aplicada pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).