Economia & Negócios

Veja quais foram as profissões de 2020 previstas por especialistas da década de 1980 e quais os ramos em potencial crescimento

24/01/2020


Imagem ilustrativa

Portal WSCOM

Exercer juízo de futurologia sobre o mercado de trabalho e oportunidades de emprego não é tarefa nada fácil, tampouco, coerente diante dos avanços frequentes e mudanças constantes que a tecnologia impôs, sobretudo, sobre este setor nos últimos anos. Imagine uma previsão exercida sobre as profissões mais requisitadas e desejadas em 2020 na ótica de quem vivia uma realidade de 40 anos atrás?

 

Pois bem, o mundo avançou, e, chegamos a 2020. É um ciclo que se inicia e os projetos para uma nova década começam a ser traçados. E, não é raro percebermos a insatisfação de alguns profissionais que se deparam com o labor de anos, a oportunidade gerada outrora sendo interrompida pela falta de avanço, crescimento, ou simplesmente falta de adequação as novas realidades tecnológicas de mercado, à inteligência artificial ou ao uso de aplicativos, robôs ou algoritmos eficazes para fazer o seu negócio voltar a crescer.    

 

Estudantes exercem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou ficam na expectativa pela aprovação nos vestibulares de algumas instituições de ensino superior. Entretanto, existem aqueles que estão terminando o Ensino Médio ou Fundamental e, sequer, sabem ainda qual área pretende seguir.

 

De fato, hoje estamos diante de uma sociedade globalizada. Todos os organismos amontoados no globo são intrinsecamente interdependentes. A sociedade atual é antenada em tudo, com acesso à informação, vivendo em verdadeiras aldeias digitais, sem fronteiras, distantes fisicamente, porém, próximos pelas diversas formas de conectividade, leia-se redes sociais, aplicativos de mensagens, entre outras formas.

 

O mundo está em reforma acelerada e profunda. A sociedade vem mudando de forma acelerada, a economia continua evoluindo para modelos mais inteligentes, o mercado dispensa empresas que visam apenas o lucro e abraça pequenos organismos que aliam tecnologia a impacto social.

 

Diante disso, o recorte histórico entre os anos de 1980 e 2020, tanto das profissões, quanto da evolução do mundo, não há como negar que a tecnologia está interferindo diretamente no comportamento da sociedade e nos negócios. Com o crescimento da economia sob demanda, milhares de pessoas estão ganhando dinheiro em empresas “flexíveis”, ou seja, sem vínculo direto por meio da CLT, porém, com relações contratuais geradas por demanda, facilitadas pela tecnologia.

 

A possibilidade de uma maior automação do mercado de trabalho pode significar que tarefas repetitivas ou insalubres sejam substituídas por uso de máquinas, o que, em síntese, simboliza que em um futuro próximo milhões de empregos possam estar em risco. Este fato não é novo. É a chamada “Revolução Industrial 4.0”, onde a extensão do braço humano passa a valer menos, enquanto que as atividades neurais passam a valer mais.

 

Apesar da crise econômica que teima em continuar no Brasil, a alta quantidade de desemprego no país também tem influência direta na falta de capacitação profissional x avanço tecnológico. Não há como negar a estimativa de que bilhões de dispositivos e/ou sensores estão conectados à internet, gerando volumes absurdos de dados. Devido a isso, profissões como as ligadas a criptografia e cibersegurança tendem a crescer.

 

Essas mudanças tecnológicas impactam diretamente no mercado de trabalho. A nova era exponencial, de mudanças rápidas e constantes, necessita, cada vez mais, que as empresas os profissionais estejam qualificados para a alta demanda. Eles precisam ter agilidade, dinâmica, e saber atuar com equipes multidisciplinares, dando lugar as organizações tradicionais por setores.

 

Diante do exposto, é inegável não considerar as projeções de historiadores e cientistas sobre os avanços em 40 anos, de 1980 a 2020, como os anos de uma grande transformação, com avanços tecnológicos que quebrariam paradigmas, democratizariam o acesso à informação e daria voz para qualquer um, em quaisquer lugares do mundo.

 

De acordo com a publicação realizada pela equipe de geração de conteúdo da Betway, as previsões da década de 1980 se assemelham bastante com o que é realidade hoje em dia. Segundo a projeção, de um ponto de vista histórico, o desenvolvimento dos computadores pessoais naquela época seria o fator crucial para profundas consequências no avanço da economia global e diretamente na vida das pessoas.

 

Para entender melhor a projeção, um infográfico elaborado e disponibilizado pela equipe do cassino online da Betway, demonstra um exercício para entender a era que vivemos, a margem de acerto dessas práticas de futurologia e traçamos ainda caminhos para os próximos anos. Confira abaixo!

 


 

POSSIBILIDADES

Para o estudante de 2020, que vive na sociedade conectada, a escolha de um curso superior pode não ser muito fácil, pois envolve vários sentimentos, dúvidas e angústias. Fatores intrínsecos, a exemplo do interesse por certa área do conhecimento, a expectativa dos familiares e, principalmente, o conhecimento sobre o mercado de trabalho e valorização da área pesam demais nesse momento. Contudo, é preciso se observar as profissões que poderão estar em alta nos próximos anos.

 

Baseada no avanço da tecnologia e nas mudanças sofridas pela sociedade nos últimos anos, a Fundação Instituto de Administração (FIA) fez um exercício para imaginar quais serão as profissões que ganharão espaço nos próximos anos, entre elas: advogado especialista em proteção de dados; a analista de Big Data; analista de comunicação com máquinas; bioinformacionista; cientista de dados; consultor de agricultura urbana; consultor financeiro de criptomoeda; corretor de seguros de dados; detetive de dados; diretor de cloud computing; diretor de user experience; engenheiro de energias renováveis; engenheiro de Inteligência Artificial; engenheiro de mobilidade; engenheiro de wearables; geneticista; gestor de edge computing; gestor de Inteligência Artificial para cidades inteligentes; gestor de inovação; perito forense virtual; e programador de machine learning.

 

Ademais, existem empresas que possuem inúmeros dados relacionados ao perfil do consumidor, tendência de mercado, informações sobre concorrentes. Hoje, o profissional de Big Data tem como função separar, tratar, analisar e interpretar essas informações com o objetivo de realizar o planejamento e posicionamento estratégico das organizações. Esse é o profissional que está em alta e é bastante valorizado nas empresas e continuará assim pelos próximos anos. Quem atua nesse ramo normalmente é formado ou tem especialização em Análise de Sistemas, Sistemas da Informação, Engenharia, Matemática, Estatística.

 

Outro profissional que denota está em crescimento é o especialista em marketing digital. A área cresceu muito nos últimos anos e promete ainda estar em alta nos próximos. O profissional desse ramo tem por objetivo divulgar um produto por meio dos canais digitais de uma empresa como os blogs, e-mails e redes sociais. Ele atua nos setores de planejamento, bem como executa e analisa projetos de marketing voltados para as ferramentas online das empresas. Normalmente, ele é formado em comunicação social, administração ou gestão de negócios e faz uma pós-graduação em marketing digital.

 

Outra área bastante valorizada nos últimos anos e que não deverá perder mercado é o desenvolvedor de software ou desenvolvedor de sistemas. São profissionais que escrevem códigos para criação de programas, aplicações, sites. Ele também trabalha codificando ou testando os sistemas e promovem correções quando necessário.

 

Por fim, não podemos esquecer da área de saúde, que sempre precisa de profissionais capacitados para realizar o diagnóstico e tratar o físico e, sobretudo, o emocional das pessoas no futuro. Assim, profissões como Medicina e Psicologia, provavelmente, nunca deixem de estar em alta. Um ramo, no entanto, que tem crescido nos últimos anos é o da tele saúde, no qual os profissionais se especializam no atendimento remoto dos pacientes.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.