Geral

O “politicamente correto”

16/10/2017


Foto: autor desconhecido.

 

O que vem a ser o “politicamente correto”? Vivo procurando a definição mais acertada para essa expressão. A mais usual é a de que se trata de um código de conduta não formalizado e estabelecido individualmente por cada um de nós. Uma forma de controlar o vocabulário, evitando causar constrangimentos, ofender, proferir insultos.

Somos então compelidos a imaginar que se trata de uma maneira de exercer papel de polícia no exercício do pensar. Aí se tornaria uma maneira de criminalizar opiniões ou discursos que sejam considerados desrespeitosos, agressivos, irreverentes, por alguns. Não seria um ato de impedir a liberdade de expressão? Como poderemos balancear o que possa ser entendido como excesso ou inconveniência?

Novas idéias que contrariam pensamentos conservadores são apontadas como indutoras de um comportamento “politicamente incorreto”. São classificadas, muitas das vezes, como atentatórias à moral, aos bons costumes, às regras tradicionalmente colocadas como de harmônicas relações pessoais.

O “politicamente correto” tem que ser necessariamente um submisso ao que a maioria entende como certo? Ele não pode questionar, contestar, discutir? Claro que pode, desde que atendendo aos limites mínimos de civilidade.

Quando vejo alguém falando na necessidade de que devamos ser “politicamente corretos”, minha cabeça embaralha. Tenho receio de que esteja sendo dominado por uma imposição ditatorial que restringe minha capacidade e independência para falar o que penso. O conceito do “politicamente correto” varia de acordo com a formação cultural de cada um. De repente uma afirmação, pode ser considerada inapropriada para alguém, e oportuna para outro.

Daí porque me esforço, não para ser o “politicamente correto”, mas o “politicamente adequado” às circunstâncias, ao momento histórico, ao combate de preconceitos e injustiças. Com o cuidado natural de não ser intolerante com quem diverge de mim, nem transgredir princípios básicos de boa convivência social.
 

Leia outros artigos

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.