Política

Como e porque a Justiça Eleitoral nos diversos níveis impede intervenção abrupta do PT nacional e Ricardo confirmando Anísio Maia candidato

16/10/2020


Percival Henriques em campanha com Anísio Maia. Imagem: Reprodução

Os novos fatos registrados nesta sexta-feira, 16 de outubro, tanto em nivel de TSE – âmbito nacional- quanto na esfera estadual/local, no TRE/PB, produziram impactos fulminantes na correlação nacional/local do PT implodindo o obcecado desejo do ex-governador Ricardo Coutinho de arrebatar de “cima para baixo” o espaço de rádio e TV do PT aniquilando Anisio Maia e seu significado entre dirigentes e a militância petista.

Ao todo, até agora , são 4 derrotas jurídicas continuadas do PT nacional e do candidato RC, que teve seu registro homologado, diante de um cenário no qual a construção política e partidária sugerem o requinte da agressividade que bem lembre o velho Stalin: ” se não estiver comigo, estarás contra mim”. Aliás, tese absurda para os tempos atuais.

CAUSAS E EFEITOS

Ao que consta, juridicamente o PT de João Pessoa tem provado e comprovado nas várias instâncias que cumpriu rigorosamente os estatutos partidários em tamanha escala que a intervenção grosseira do PT nacional se viu menor do que os parâmetros jurídicos em voga.

A rigor, a esta altura do campeonato a banda intervencionista reverbera o discurso de que Anisio ajuda a situação bolsonarista ignorando por miopia alinhada e contraproducente que o candidato do PT é até agora o único a bater duro em Bolsonaro.

Tudo posto está claro que Ricardo Coutinho vai pagar o preço pelo caminho da brutalidade politica escolhida exatamente porque durante todo ano de 2020 ele se recusou a dialogar com o PT e construir um caminho democrático.

Como sempre valeu ( na verdade não valeu) sua opção pelo autoritarismo muito longe dos princípios democráticos. Vai pagar este preço além de 2020.

Anotem.

DECISÃO DO TSE

O ministro Tarcísio Vieira de Carvalho Neto, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou nesta sexta-feira, o pedido feito pelo Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) para anular a decisão de regularidade da candidatura do deputado petista Anísio Maia a prefeito de João Pessoa.

Um dos recursos foi rejeitado pelo ministro após alegar declínio de competência em analisar o agravo interno do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB). No outro, o ministro negou o pedido de tutela de urgência formulado pelo Diretório Nacional.

Em sintese, o PT nacional e Ricardo enfrentam a base jurídico sem consistencia legal. Vai repercutir na campanha em si.

Leia outros artigos
Em respeito a Legislação Eleitoral, os comentários estão temporariamente suspensos.