Paraíba

Circo com elefante gera polêmica na cidade de Patos


25/01/2013

 A chegada de um circo na cidade de Patos levantou a polêmica sobre a utilização de bichos como atrações. O voluntário da Associação Patoense de Proteção aos Animais (APPA), Júnior Misaki, ligou para emissoras de rádios locais se manifestando a respeito do animal circense.

De acordo com Misaki, a ONG quer uma explicação a respeito do fato, já que existe uma lei que proíbe a utilização de animais em circo e a Paraíba está inserida nessa lei.

Porém um dos responsáveis pelo Circo Europeu, Átila Pena, alegou não ter conhecimento dessa lei. Disse ainda, que estava vindo do estado de Pernambuco, onde é proibido apenas o uso de animais ferozes em circo, como leões.

Ele ainda falou que a elefanta, chamada Lady, chegou ao Brasil em 1972 para ser uma atração circense e garantiu que o animal é totalmente legalizado e registrado pelo IBAMA. Além disso, Átila disse que a elefanta é bem tratada pelo seu adestrador, China.

O IBAMA, órgão responsável pela fiscalização, não se manifestou a respeito do caso.

Diante da polêmica gerada, abriu-se uma nova discussão que é a inexistência de um órgão fiscalizador em uma cidade com mais de 100 mil habitantes, no tocante a proteção dos animais. Pois segundo informações, determinada lei só não é atuante na Paraíba devido a falta de um órgão competente.

Em nove estados brasileiros, não são mais permitidas apresentações com animais (Alagoas, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo). E o Projeto de Lei 7291/06 – que está pronto para ser votado no Plenário da Câmara – quer estender a proibição a todo o País.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.