Economia & Negócios

CNI debate soluções de financiamento para tornar empresas sustentáveis

Live faz parte de uma série de debates online que busca discutir oportunidades para o aumento da sustentabilidade no setor industrial. Primeiro evento será dia 13, via YouTube


13/06/2023

Produção de papel e celulose, um processo essencialmente sustentável. Sua matéria-prima é a madeira, um recurso natural renovável, e gera um produto que é 100% reciclável e biodegradável (Foto: Divulgação/CNI)

Portal WSCOM



A integração dos aspectos ambientais, sociais e de governança nas decisões de investimento está estimulando a transformação do mercado financeiro e incentivando o redirecionamento dos fluxos de recursos para atividades e projetos mais sustentáveis. Para discutir o assunto, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) vão promover uma série de debates online intitulada “ESG e Finanças Sustentáveis no Sistema Nacional de Fomento”.

Serão três encontros que abordarão de que forma as instituições financeiras de desenvolvimento vêm adotando os critérios ESG em suas estratégias e ações e as soluções oferecidas para incentivar e apoiar as empresas em suas jornadas de sustentabilidade.

A primeira live será realizada nesta terça-feira (13), às 10h, e discutirá as oportunidades que a agenda ESG e as finanças sustentáveis proporcionam para a indústria nacional.

O primeiro painel vai apresentar o cenário das finanças sustentáveis no mundo e no país e as oportunidades da agenda ESG para as empresas industriais, com participação do sócio fundador e CEO da Natural Inteligence (NINT), Gustavo Pimentel, e do coordenador de Desenvolvimento Socioeconômico Inclusivo do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Cristiano Prado.

Em seguida, a gerente de Sustentabilidade e Economia da ABDE, Kesia Braga, apresentará o papel do Sistema Nacional de Fomento na implementação da Agenda 2030 no Brasil, e reforçará a importância da coordenação entre instituições financeiras de desenvolvimento, setor privado, poder público, terceiro setor e organismos internacionais e multilaterais na aceleração da implementação dessa agenda.

Por fim, o gerente-executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CNI, Davi Bomtempo, apresentará a agenda ESG da CNI para o setor industrial e receberá Leonardo Marcante, gerente de Relações Corporativas da Suzano. A empresa de papel e celulose é pioneira na emissão de títulos sustentáveis que contribuem para os compromissos socioambientais da organização.

Próximos debates serão em julho e setembro

A segunda live, prevista para julho, irá abordar como as instituições financeiras de desenvolvimento têm se planejado para o novo cenário ESG. Já a terceira e última, marcada para setembro, será sobre como as instituições financeiras de desenvolvimento têm trazido as finanças sustentáveis para a realidade das empresas.

“O objetivo desta série é impulsionar a conexão entre a indústria e as instituições financeiras de desenvolvimento. Queremos com isso facilitar o acesso ao crédito e mobilizar recursos para a promoção do uso sustentável dos recursos naturais, do fortalecimento das cadeias de valor, da melhoria na gestão dos riscos corporativos, entre outros propósitos que contribuem para a agregação de valor e longevidade das organizações”, afirma Bomtempo.



Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
// //